São Paulo poderia fazer a ‘Guarda de Honra’ para o Corinthians



O futebol inglês conta com uma tradição que é um grande exemplo de fair play, educação, gentileza e espírito esportivo. Quando um time é campeão, o seu rival na rodada seguinte faz a chamada “guarda de honra”. Trata-se de um corredor humano formado pelos jogadores. O time campeão passa por dentro deste corredor e é aplaudido.

Ela acontece mais na FA Cup, mas na Premiere League também é comum. Em maio deste ano coube ao Liverpool, um dos mais tradicionais clubes do país, fazer a guarda de honra para o campeão inglês Chelsea.

Nos últimos tempos o Brasil resolveu importar várias coisas do futebol europeu, algumas que não têm nada a ver com a nossa cultura. Uma delas é a obrigatoriedade de os dois times entrarem ao mesmo tempo no campo. Perde-se a festa das torcidas, algo tradicional por aqui.

Mas a guarda de honra seria algo interessante de ser copiado. E não haverá melhor oportunidade de se fazer do que no clássico de amanhã entre o campeão Corinthians e seu rival São Paulo em Itaquera. Seria um reconhecimento do São Paulo ao incrível campeonato feito pelo Corinthians. Mais do que isso, seria um recado àqueles que entendem o futebol como uma guerra. Nada poderia simbolizar mais a paz do que um rival reconhecer e aplaudir uma conquista do outro. Em tempos de tanta intolerância no mundo, por que não um gesto nobre como este?

Claro que os xiitas do futebol nunca admitirão uma coisa dessas, defendendo que a rivalidade está na essência da paixão futebolística e que não é admissível se curvar para um adversário (ou inimigo, como eles preferem enxergar aquele que veste uma camisa de outra cor). Mas qual outro sinal de grandeza e nobreza um time poderia fazer ao enfrentar o melhor time do país?

Além disso, reconhecer a superioridade de um rival em uma temporada é um enorme sinal de força e confiança. Sim, o são-paulino sabe que este ano o Corinthians foi o melhor, mas outras temporadas virão e a direção dos ventos pode mudar. Quem sabe no futuro o Corinthians não fará o mesmo para uma conquista tricolor?

Mas para isso acontecer, o primeiro passo teria de ser dado. E poderia ser amanhã. Nestes tempos em que se mata pela cor da camisa, pela religião ou por qualquer motivo, seria um golaço.



MaisRecentes

A torcida que salvou um time salvará de novo em 2018?



Continue Lendo

A lição de Carille e o que vem por aí



Continue Lendo

Em onze dias, o Brasileiro mudou



Continue Lendo