Contrariando Pep Guardiola



Aconteceu o seguinte: ganhei o livro “Guardiola Confidencial”, de Martí Perarnau e, como a maioria das pessoas faz quando recebe um livro bacana, folheei com atenção e abri em uma página qualquer. Caiu na abertura do capítulo 28 “A receita para ganhar a Liga”. A frase que abre o capítulo é esta: “As ligas são ganhas nas último oito rodadas e são perdidas nas oito primeiras.”

Me pareceu fazer todo o sentido: print inicial para não precisar fazer uma corrida de recuperação e sprint final no momento em que a concorrência está esgotada fisicamente e que qualquer ponto vale muito.

Fiquei curioso e fui verificar a tabela do Campeonato Brasileiro e ver a pontuação da oitava rodada. Era esta aqui: 1º Sport- 18 pontos; 2º São Paulo (17); 3º Atlético Paranaense (16); 4º Atlético Mineiro (14); 5º Fluminense (14), 6º Grêmio 14); 7º Corinthians (13).

No tal capítulo 28 de “Guardiola Confidencial “ o treinador explica que a desvantagem para seu rival no fim da oitava rodada (suponho que o rival seja o líder) deve ser de quatro pontos no máximo. O hoje líder Corinthians passou um pouco e tinha cinco de distância do Sport. O Galo, que segue na briga pelo título, estava no limite e tinha quatro.

É bom deixar claro uma coisa. Ainda não li “Guardiola Confidencial”. Pelo que soube é um grande livro sobre os métodos de trabalho de um estupendo personagem. Então, é impossível julgar a obra pela leitura de uma frase encontrada em um página aberta aleatoriamente.

Portanto, fico com a seguinte conclusão. A receita para se vencer uma Liga (entenda liga como um campeonato nacional em turno e returno no sistema de pontos corridos) tem todo o sentido para torneios em que os times começam e terminam com seus elencos quase intactos, que os desfalques ocorrem por conta de contusões e suspensões, mas nunca por causa de convocações da seleção e nem por culpa da janela de transferências. E que as rodadas são distribuídas de maneira uniforme pelo ano, sem grandes acúmulos nem deserto de jogos.

Posto isso, a receita de Guardiola não se aplica 100% o Campeonato Brasileiro. Ainda assim, a conta que ele faz é quase certeira. O Corinthians passou pouco da meta e o Galo cumpriu no limite. O que me leva a crer que Guardiola está mais certo do que o calendário e a estrutura do futebol brasileiro.



  • Camila Boschetto

    Isso mesmo… ????????

MaisRecentes

Campanha do Corinthians é um tapa na cara geral



Continue Lendo

Eficácia no Brasileirão



Continue Lendo

São Paulo é como uma obra que nunca acaba



Continue Lendo