Corinthians: sistema defensivo forte, time forte. São Paulo: sistema defensivo fraco, time frágil



Intervalo dos jogos das 16 horas e eu recebo uma mensagem de um amigo.

– Que massacre, hein?

Me perguntei qual jogo da rodada poderia ter algo parecido e não achei resposta. Resolvi perguntar:

– De qual jogo você está falando?

– São Paulo x Sport. Acabei de ver os melhores momentos.

Assistindo aos melhores momentos a impressão é verdadeira. Mas não foi o que aconteceu. O primeiro tempo de Sport x São Paulo foi equilibrado. A diferença, que os melhores momentos mostra, é que todo ataque contra o Tricolor resulta em perigo grave de gol.

Voltamos algumas horas no tempo e vamos para Corinthians x Atlético Mineiro, sábado à noite. Se houve um time que sofreu pressão nesta rodada este time foi o Corinthians, que foi amassado pelo Galo sobretudo no segundo tempo. Resultado do jogo: 1 a 0 para o Corinthians. Resultado em Pernambuco: 2 a 0 para o Sport.

A rodada de segunda-feira foi ótima para um time, um dos únicos que venceram entre aqueles que brigam na parte de cima da tabela. Este time é o Corinthians, aquele mesmo que foi muito pressionado pelo Galo em sua própria casa sábado à noite.

Especificamente um número explica o motivo de o Timão ter entrado na briga pelo título: oito míseros gols sofridos em 14 rodadas, incrível média de 0,57 gol por jogo. Melhor zaga não garante título, embora apenas uma vez na história do Brasileirão por pontos corridos um time que teve a melhor zaga ficou fora do G4 ao final do campeonato.

O segundo tempo de Sport 2 x 0 São Paulo vai levar muita gente a concluir que Ganso e Luís Fabiano não podem mais vestir a camisa Tricolor. De fato, a dupla não só foi absolutamente inoperante em campo, como ainda foi expulsa no segundo tempo. Um desastre. Porém, no momento da expulsão, o São Paulo não dava a menor pista de que poderia empatar: já jogava menos do que o rival e seguia sofrendo em qualquer ataque do time pernambucano.

A absoluta fragilidade defensiva do São Paulo é um dos maiores contrastes entre ele e o Corinthians. Um não é pressionado, mas leva gols. O outro é pressionado, mas sai ileso. Um sistema defensivo forte pode não ser lindo como um toque de bola refinado. Mas no Brasileirão funciona que é uma beleza.



MaisRecentes

A “injustiça” com Buffon



Continue Lendo

Chega de falar de arbitragem!



Continue Lendo

O juiz errou. E os outros?



Continue Lendo