Com a bênção de Dona Lucia *



Ainda perplexos com a eliminação para o Paraguai na Copa América, os manda-chuvas da CBF criaram um conselho de notáveis formado por treinadores que já passaram pela Seleção Brasileira.

Todos reunidos em uma sala, só saíram de lá com um plano de ação detalhado para recolocar a paixão nacional em seu devido lugar. Nas próximas linhas você terá acesso ao que de mais importante saiu deste encontro.

Sebastião Lazaroni chegou com um papel e leu a todos: – Não temos tempo para treinar, devemos apostar no pijama trainning e galgar parâmetros”.

Ernesto Paulo concordou: – Minha experiência no showbol (foi reinador do Flamengo na categoria) mostra que isso vai dar certo.

Foi quando Carlos Alberto Parreira fez uma observação que surpreendeu a todos.

– Meus amigos, não podemos esquecer que o gol é um detalhe.

Todos pensaram por alguns segundos e concordaram acenando com a cabeça em seguida.

Neste momento Emerson Leão lembrou que o futebol brasileiro não pode se afastar de sua essência e disse:

– Não podemos abrir mão do futebol bailarino! Aplausos, seguidos das sábias palavras de Zagallo. – Afinal, todo mundo treme quando vê a amarelinha. Eles vão ter que nos engolir!

Luxemburgo esfriou um pouco a euforia e ponderou: “Sem um projeto não iremos a lugar nenhum.” Ao seu lado, Candinho concordou.

Passo seguinte, Dunga levantou a mão, incomodado com a história de futebol bailarino e cravou: prefere ser ruim com sorte a ser um bom com azar. Foi a deixa para Felipão deixar de lado um certo constrangimento pelos 7 a 1 e se manifestar:

– Resultado fica para história, jogo bonito passa.

Horas depois, o grupo de notáveis elaborou um documento que pode ser resumido assim: “O futebol brasileiro terá um projeto para que a Seleção Brasileira jogue o futebol bailarino para galgar parâmetros, nunca se esquecendo de que o gol é um detalhe e que resultados ficam, mas o jogo bonito passa. O projeto tem tudo para ser um sucesso porque todos tremem diante da Amarelinha.”

Antes de levar o estudo ao público, o grupo quis sentir como o torcedor receberia as novidades. Então alguém ligou para a Dona Lucia.

* esta é uma obra de ficção.



  • Em quanto isso, no País das Maravilhas (CBF) um dos sete anãos, Dunga, canta em mais outra copa, em uma quarta de final, eu vou, eu vou, pra casa agora eu vou.

MaisRecentes

‘Isso aqui é Flamengo’



Continue Lendo

Treinador x Jogador



Continue Lendo

Pressão represada



Continue Lendo