Não reclamem no final de 2015



Ao fim da rodada do último fim de semana uma cena se repetiu vestiários afora: treinadores reclamaram e espernearam contra o excesso de jogos e o esgotamento físico dos elencos. Dois chamaram a atenção, por serem justamente os treinadores dos dois times mais bem colocados no Brasileirão: Muricy, do São Paulo e Marcelo Oliveira do Cruzeiro. Os dois têm toda razão. Bem como todos os outros que protestaram e vêm protestando sempre.

Chegamos à segunda-feira. Os grupos do Campeonato Paulista foram sorteados em cerimônia realizada na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF). O regulamento é rigorosamente igual ao de 2014, com quatro grupos de cinco times cada. Os detalhes do regulamento, esdrúxulo, não valem discussão aqui. A questão é a quantidade de datas que o estadual vai abocanhar: 19 ao todo.

Prevendo que os clubes usariam o estadual como uma espécie de pré-temporada, o que faz todo o sentido, a FPF criou uma regra marota: apenas 28 atletas podem ser inscritos, o que praticamente impede os clubes de usar mais jogadores da sua base. A não ser que os clubes topassem inscrever apenas jogadores da base, mas faltam coragem e independência para tanto.

Uma única voz reclamou das condições do Estadual, a do presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar. Falou sozinho. Os outros grandes toparam tudo e vamos para mais um Paulistão (Paulistinha?) com uma primeira fase insuportavelmente chata e apenas alguns jogos na fase final com alguma dose de emoção.

Para quem ainda defende este modelo de campeonato dizendo que a sobrevivência dos pequenos depende do Estadual, vale um exercício: analisar o desempenho do Ituano, o justíssimo campeão de 2014. Veremos se a taça depositada na sala de troféus deixou algum legado no clube.

Pelo começo do ano que se desenha, idêntico ao de 2014, já é possível prever o discurso dos treinadores no fim de 2015: reclamação sobre o excesso de jogos, calendário apertado, jogadores esgotados, falta de espaço para treinamentos entre um jogo e outro. O receio de reclamar já está superado. 2015 deveria ser o ano para ações mais efetivas.



  • flavio

    Dois pontos a serem analisados: 1) Todos os clubes foram a favor justamente porque os vermes rastejantes do jd leonor foi contra. 2) O título do ituano não foi justo coisa nenhuma, uma vez que os mesmos vermes rastejantes entregaram o jogo na cara dura!!

  • Lucas Lopes

    Tironi, se não me engano, todos concordaram, menos o Bragantino. Não foi isso?

MaisRecentes

Só punição pode acabar com a cafajestagem



Continue Lendo

Ainda é cedo para tudo



Continue Lendo

Nove verdades (ou não) e uma mentira (ou não) do mundo do futebol



Continue Lendo