Ouça Juvenal



Esqueça as trocas de acusações de parte a parte no deprimente episódio Juvenal Juvêncio x Carlos Miguel Aidar. No meio deste tiroteio, o ex-presidente do São Paulo deu declarações importantes sobre a estrutura do futebol brasileiro.

Defendeu a soberania dos clubes como poucos cartolas fazem, defendeu a criação de uma liga para gerenciar os campeonatos no lugar da CBF e ainda falou sobre a urgente necessidade de controle de gastos.

Aos 82 anos e com uma doença muito grave, Juvenal Juvêncio se deu o direito de se soltar de qualquer amarra e defender pontos de vista que parceiros seus (muito mais jovens) não defendem, seja por conveniência ou falta de coragem.

Esqueça por um momento o terceiro mandato conseguido a fórceps na presidência do São Paulo ou as brigas menos importantes dentro do São Paulo ou com cartolas de outros clubes. Juvenal tem posições sobre a estrutura do futebol brasileiro que há muito ninguém que sentou na cadeira da presidência da CBF tem, por exemplo.



  • Danilo

    To envergonhado com meu tricolor. Além de ser zuado por sempre pipocar quando o papo é ma-mata com time grande brasileiro, agora vão me chamar de Robin Hood, tirando ponto do líder e entregando pra time pré-rebaixado… To triste demais…

  • Renato Venturini

    Caro Tironi, você não acha que essas declarações do JJ, embora realmente pertinentes, perdem totalmente seu valor ao constatarmos que esse senhor ficou décadas no poder e jamais fez nada no sentido do que está pregando agora. E que essas declarações somente apareceram depois dele ter sido chutado do SPFC?
    Acho curioso ele defender a união e o modelo de Liga dos Clubes tendo sido um dos pivôs das brigas entre os times brasileiros, com aquela idiotice de não reconhecer o direito do Flamengo sobre a Taça das Bolinhas, além de uma postura sempre de maior soberba e desrespeito com outros clubes…
    Para mim seria o mesmo do que o Dualib ou Mustafá defendessem, hoje, a transparência no futebol…

  • FABIO

    Argumento interessante , parabéns Tironi
    Por Mais que nós são-paulinos detestemos a ultima gestão do sr. JJ há que se lembrar que estas posições, por ele ferrenhamente defendidas e que nos custaram a exclusão do Morumbi na copa do mundo, são posições legitimas que trariam IMENSOS ganhos para as equipes pequenas do Brasil afora , fortalecendo clubes em situação financeira precária e que eliminariam o monopólio Globo + Curintia + Flamengo que domina o campeonato BR.
    Tratam – se de princípios universais , negociações ganha-ganha onde outros poderiam usufruir de todo capital investido no futebol – assim como são hoje NFL, NBA, Champion League, etc

  • Dr Leonidas da silva

    Quando era presidente do São Paulo ele já tinha estas posições. Inclusive o Morumbi ficou fora da copa por causa disto. E agora que ele saiu do São Paulo, ele serve? Alias em termos de “política nacional de clubes” existe uma uniformização de pensamento dentro do São Paulo, inclusive o pensamento do Aidar entra em convergência com o do JJ neste sentido, é só o senhor comparar as declarações de ambos.
    Qual o espanto? O São Paulo sempre defendeu tudo isto! Inclusive o Aidar idealizou o clube dos 13.
    Talvez não fosse conveniente para a imprensa, a alguns anos atrás, diante da eminencia de um clube sem credibilidade no mercado como o Corinthians, ganhar um estádio, defender as ideias do rival São Paulo.

  • allan dutra de souza

    Então porque não o fez? É muito fácil falar quando não tem mais o poder, ainda mais pra uma pessoa prepotente como o JJ. Eu esqueço o terceiro mandato, porém não esqueço o que o São Paulo sofreu ano passado sofrendo para não cair, sendo o pior momento da história do clube. E quem era o presidente na época???
    Colocou a culpa nos jogadores que também tiveram sua parcela, mas não foram eles q pediram pra jogar no tricolor, e sim, foram contratados pelo ex-presidente.
    A única chance que teve de fazer essa revolução no futebol, ele refugou. Acabou perdendo a copa no morumbi para o maior rival, a CBF não fazia o menor esforço quando o São Paulo precisa e estava perdendo transmissões na tv aberta porque a Globo não gostou do caso Clube dos 13.
    Por tudo isso que sofreu pela corja CBF, F.P.F e Globo, não se fez a revolução, ficou com medo. Não teve apoio dos outros clubes porque não soube ser político e ir em busca de um objetivo comum, e sim, preferia desdenhar dos outros clubes e ficou enfraquecido como vice no clube dos 13, que foi dissolvida em seguida. Pessoas que querem revolucionar não podem ter medo, e o JJ teve.
    Então, não adianta esse papinho de ouvir o Juvenal, ele é mais do mesmo que se tem no futebol de hoje.

MaisRecentes

Eficácia no Brasileirão



Continue Lendo

São Paulo é como uma obra que nunca acaba



Continue Lendo

Brigões não se importam



Continue Lendo