Como acreditar que clubes honrarão compromissos?



Dia 5 de agosto de 2014. O presidente do Botafogo Maurício Assumpção admite, no programa “Bola da Vez” da ESPN Brasil, não ter pago impostos nos últimos oito meses esperando a aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte.

Dia 7 de agosto de 2014. A Justiça Federal aceita denúncia do Ministério Público Federal contra o ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez. Motivo: o clube não recolheu impostos em 2010, totalizando débitos de R$ 94,25 milhões.

Dia 8 de agosto de 2014. Kléber Leite, ex-presidente do Flamengo, em entrevista ao UOL, declara: “Pagar dívida e cair não adianta nada. É melhor dever e não cair. Paga depois.”

Estes são apenas três exemplos de dirigentes que estão ou passaram por alguns dos maiores clubes do país nos últimos anos. E está bem claro como eles encaram dívidas. Vale lembrar que Corinthians e Fla são os dois clubes que mais recebem dinheiro de cotas de TV.

Ao lado de todos os outros clubes da Série A e da Série B do Brasileiro, Flamengo, Corinthians, Botafogo pressionaram nos últimos meses o Governo a aprovar a Lei de Responsabilidade do Esporte, que pretende refinanciar (ou perdoar, dependendo de como se encara a responsabilidade) seus débitos. Infelizmente para eles, a votação ficou para depois das eleições de outubro.

Empresas foram beneficiadas com refinanciamento de dívidas, pessoas físicas também podem ser, governos estaduais e municipais idem. Por que os clubes não podem ter o mesmo benefício? O que pega neste caso é que ninguém confia neles. Mesmo quem deseja a Lei aprovada sabe que os clubes podem novamente fazer o que sempre fizeram: receber o perdão e novamente se endividar, com a certeza da falta de punição.

Com os exemplos de cartolas dados esta semana, dá para acreditar que os clubes vão cumprir o prometido?



  • WAGNER

    Acho ser mais importante esse refinanciamento para clubes do Rio de janeiro do que os de SP. Em minas, o Atlético é um dos que mais devem também, mas continuo achando que isso só é levantado pela quase falência do futebol carioca.

  • Rodrigo

    O ponto é que dirigentes de clube (de A a Z), assim como os da CBF, não querem uma solução, já que ELES são o problema. Querem apenas que alguém tape os buracos que eles mesmos cavam. Aí fica difícil mudar alguma coisa. Ainda não perceberam que, dos 7×1, seis gols nos foram aplicados fora das quatro linhas.

  • dorival

    Sou consultor de produtividade, insumos e treinamentos de habilidade, trabalhei com os gringos nos EUA e resolvi fazer a consultoria no futebol; iniciei por lá mesmo.
    Convém explicar o seguinte: Habilidade é tudo aquilo que pode ser aprendido como todos os tipos de esportes, musica etc., já a faculdade ou talento, criatividade é nato, não existe como ensinar, talvez treinar para tentar desenvolver estes dons.
    Faz dez anos que tento convencer nossos dirigentes que isto é uma realidade e é possível ensinar, mesmo os jogadores mais velhos, a bater faltas próximas a área com aproveitamento de 50%, batermos na bola a velocidades superior a 100 km/hora, leitura do ataque adversário com recuperação da posse de bola sem falta, tiros penais com 95% de acerto, defender tiros penais em nível de 50%, estas coisas são possíveis e eu já realizei no exterior, mas aqui a resistência é no mais alto nível de rejeição e as desculpas são tão ridículas como os próprios dirigentes e técnicos. Um chegou a me dizer que isto é coisa pra gringo, o mais interessante é que todas estas coisas foram feitas por nossos jogadores no passado, não estou reinventando a bola nem a roda, isto é questão de conhecimento em treinamentos, mecânica do chute, passe, cabeceio, tudo isto envolve conhecimento e muito estudo.
    Nossos técnicos, em sua grande maioria ex-jogadores, desconhecem como montar um treinamento específico, o que sabem é a compulsão para a repetição e todos nós sabemos que fazer sempre a mesma coisa e esperar um resultado diferente é coisa de nossos treinadores, por pura ignorância, passou da hora de termos profissionais que saibam o que estão fazendo para podermos aprimorar a técnica de nossos jogadores, nunca teremos bons espetáculos com jogadores medíocres e treinadores completamente focados na parte táctica, já que na parte técnica sabem absolutamente nada. A Alemanha já começou os treinamentos para aprimorar a parte técnica e todos vimos o resultado (7 X 1).
    Pode-se mudar a fórmula que seria o mesmo que trocar seis por meia dúzia, estou de acordo que estes dirigentes amadores, corruptos e aproveitadores devem sumir do mapa, é só olhar para a nossa classe política para saber que mudanças devem acontecer. A minha sugestão é que a Globo com seus profissionais, sejam responsáveis pelos campeonatos, talvez mude as coisas um pouco, ao menos haverá profissionalismo, coisa que hoje é piada.

  • antonio carlos

    Tironi é verdade não se pode confiar em todo o pessoal do futebol,haja a vista que os mais cretinos chegam à presidência e vice presidência da cbf.Agora essa do PALMEIRAS ganhar um título mundial do BLATER é um pouco muito não é não?Mas veja como foi o assédio:ministro de estado (palmeirense ),próximo presidente da cbf e mais o presidente do palmeiras.Aqui entre nós isso já é formação de quadrilha,o cara tinha mesmo que obedecer.será que os elementos entraram armados na FIFA para fazer a exigencia?

  • E mais uma vez pagaremos de idiotas para essa cambada de la….. .Só que quem vai julgar e ver se da mais esse boi pra eles é outra cambada de la….. ne´Tironi , então como é que ficamos?

MaisRecentes

O mundo gira



Continue Lendo

Dérbi não vale. Mas vale!



Continue Lendo

Agora vai?



Continue Lendo