Não foi um acidente



O que aconteceu nesta terça-feira no Mineirão não foi um acidente. Podemos até discutir o placar, mas foi o massacre tático sofrido que provocou a derrota.

Limitar o que aconteceu a uma “pane”, como Felipão e os jogadores (estes os menores culpados) fizeram é avançar no terreno perigoso de que está tudo bem.

O que aconteceu no Mineirão nesta terça-feira foi nada menos do que a imposição da tática, da estratégia e do trabalho a longo prazo sobre o improviso, a auto-ajuda e a crença de que vamos ganhar porque somos o Brasil pentacampeão.

Os 7 a 1 deste domingo só escancaram o que muitas vezes aparece até mesmo nas Libertadores da vida: rivais sul-americanos muito mais frágeis tecnicamente mostrando estratégia e às vezes nos oferecendo vexames.

O pior caminho para cicatrizar esta ferida é ignorar que não está tudo bem. O futebol brasileiro precisa avançar nos seus conceitos táticos.



  • Ficam dizendo que a Alemanha se preparou ou que o futebol brasileiro precisa se organizar…
    Na verdade tudo isso é besteira!

    Os volantes e atacantes do Brasil como Hulk e Fred são horríveis tecnicamente.
    Não sabem dominar uma bola ou dar um passe certo diante de marcação forte.

    Já os volantes e atacantes da Alemanha tinham características de meias e tocavam e dominavam a bola com precisão.

    É simples…. A incapacidade técnica de vários jogadores do Brasil foi engolida pela capacidade técnica da maioria dos jogadores da Alemanha.

    Eu sou sãopaulino e o meu time só ganha títulos importantes quando tem zagueiros, volantes e atacantes que sabem trocar passes e dominar a bola. Por exemplo os maiores títulos do São Paulo nos últimos 25 anos foram conquistados com atacantes que sabem passar, criar e dominar uma bola como Muller(Bi-Mundial), Amoroso(Tri-Mundial), Dagoberto(Hexa-Brasileiro).

    Quando o São Paulo começa a jogar com atacantes cones como Washington, Luis Fabiano e similares não ganha um mísero titulo.

    O caso do Brasil é a mesma coisa…. Ganhou as Copas em 1994 e 2002 porque tinha atacantes como Bebeto, Romário e Ronaldo que sabem driblar, passar, criar e dominar uma bola.

    O Brasil nas ultimas 2 Copas jogou com cones horrorosos como Hulk, Fred e Luís Fabiano e perdeu.

    Isso e somente isso que faz a diferença entre um time vencedor e um perdedor.

    Bizarramente ninguém se atenta para isso!

  • Jojota

    Fergunson já!

  • O que vimos ontem foi o final de uma cronica anunciada, mas que fica camuflada pela nossa paixão pelo futebol, pela copa, pelo brasil na copa…. mas que foi anunciada na base do nosso futebol, os clubes, o que vimos ontem foi a morte do paciente chamado futebol brasileiro, que se mostra doente a tempos, como vimos contra o mazembe, entrando na UTI contra o barça, respirando contra o Chelsea, quase morrendo denovo contra o barça, e com outra recaída contra o Raja Casablanca…. até o dia de ontem, onde enfrentou tudo de correto que não faz e pagou caro por isso.

    Internacional, santos, santos denovo, galo e seleção, com seus ultrapassados, pequenos, arrogantes, prepotentes professores, Roth, muricy, cuca, felipão e parreira mostram a profuda decadência de postura, trabalho, idéias, inovações e vergonha na cara da administração do nosso futebol dentro e fora de campo…. a prova disso é o unico contra ponto a todos os treinadores desse país, TITE, o único que parou e refletiu e se atualizou um pouco, e por isso conseguiu nesse periodo de mediocridade, um resultado positivo com o Corinthians.

    Todos os outros deitaram em berço esplendidos de glorias passadas, pararam no tempo, e mataram nós de vergonha.

    A mediocridade começa encima nas ditaduras administrativas que levaram clubes a falência e quedas e a seleção ao seu maior vexame, passa pelos treinadores, que são uma piada, comparados a guadiola, low, sampaoli, pekerman, bielsa, e culmina no produto final, o individual, o jogador.

    Hoje o brasil não tem grandes jogadores de futebol, hoje podemos comparar qualquer 11 que montamos, com a colombia e vai ser pau a pau…. hoje temos neymar e thiago como referencias tecnicas, mais alguns bons zagueiros, goleiros e volantes, fraquissimos laterais e meias…. e nenhum atacante decente….. isso é fato gente, não é porque perdeu, nossas alternativas aos terriveis Jo, bernard, Fred eram os aposentados, Robinho e Kaka….. a mediocridade administrativa chegou as categorias de base, e ficamos a merce da sorte, pra revelar jogador, pra passar pelo chile, pra não ser goleado….

    O futebol brasileiro morreu.

  • lupuz

    Quando nos livramos da influencia dos tecnicos gauchos,vamos precisar de trinta anos para recuperar o futebol brasileiro.Dizem que o proximo é o tite,SÓ PODE SER PIADA.

  • Leoni carvalho

    Precisamos de um tecnico estrangeiro!!!

  • Porém o que aconteceu hoje não foi um simples acidente. Há tempos o Brasil atua em Copas do Mundo jogando muito menos do que se apregoa nas propagandas de TV e no discurso ufanista de parte da imprensa. Em algumas ocasiões escapou de derrotas semelhantes como na final de 1998, onde usou a desculpa da nebulosa convulsão de Ronaldo para justificar o banho tático e técnico que levou da França, que era muito melhor treinada do que a equipe brasileira.

    Sobre o jogo em si não há muito o que dizer: foi incompreensível a escalação de Bernard, já de saída. Felipão, que pouco treinou o time para se acostumar com a ausência de Neymar (e pouco treinou de forma geral em termos táticos), deixou o meio campo desguarnecido como nas outras partidas. Khedira jogou com uma liberdade espantosa e fez com que Schweinsteiger nem precisasse passar do meio de campo. Kroos mais uma vez liderou o time alemão que só não fez mais gols por excesso de respeito. A defesa brasileira sentiu uma falta grande de Thiago Silva, mostrando que ele é que é o principal zagueiro do time, bem acima do superestimado David Luiz.

MaisRecentes

Mimimi ou verdadeiro?



Continue Lendo

Acharam um novo culpado: a religião



Continue Lendo

Jogo bom. No Brasil



Continue Lendo