O Maraca e a casa da minha avó



Minha avó tinha o hábito de, de tempos em tempos, mudar a disposição de todos os móveis da sala. A estante da TV mudava de parede, o sofá também, a mesa de centro virava mesa de canto, o vaso de cerâmica saia de um lugar da sala e ia para outro. Ainda criança, todas as vezes que eu era surpreendido com uma mudança dessas tinha a impressão de que estava entrando em outra casa. Até me acostumar.

Esta sensação que havia me deixado ainda na infância voltou a me encontrar ontem assim que vi pela primeira vez o Maracanã por dentro após a reforma. O endereço é o mesmo, não há dúvida. Mas tudo é diferente: cadeiras em toda parte, enorme área vip, cobertura diferente, telões aqui e ali. Cadê a geral? Está coberta por cadeiras. Para que lado é a entrada do Bellini? E a da Uerj?

Eu só conheci o Maracanã depois de adulto. Portanto, não dá para dizer que ele tenha me acompanhado durante toda a vida. Mas vi, e bem, o estádio que existia ali antes desta reforma que engoliu até agora quase R$ 1 bilhão. E ele não tem nada a ver com este “reinaugurado” ontem com os operários que trabalharam na obra na arquibancada. E também com pompa, área vip, comidinhas, bicões, novos ricos, influentes e, registre-se, muitos funcionários, educados e prestativos.

O novo Maracanã tem aquele jeitão de estádio europeu, com muito conforto. E vamos combinar que todo mundo gosta de conforto. Neste aspecto, ponto para ele. Mas quem tem alguma ligação afetiva com o estádio não consegue enxergar ali o mesmo local que fez parte de sua vida. O torcedor que um dia chorou pelo seu time, se ontem se sentasse exatamente no mesmo lugar, não conseguiria conectar passado e presente.

A experiência de se ver uma partida no novo Maracanã a partir de agora tem de ser muito interessante, diferente, agradável e inédita. Porque a emoção que o velho Maracanã deu a seus torcedores ficou na história e nunca mais será revivida.

A casa da minha avó nem existe mais. Se outra for constrúida no mesmo endereço não vai trazer a minha infância de volta. Que o conforto, modernidade e o luxo do novo Maracanã traga aos futuros torcedores histórias inesquecíveis.



  • charlesc

    O maraca é do Mengao sem mais.

  • lee

    Sinceramente..qd lotar…com as torcidas completando tudo como em uma bacia, acho que nao vai ter coisa mais linda.

    A maior parte dos estádios possuem mais de um andar…

    vamos ver! Eu gostei e naoe stou preocupado com a grana gasta. nao sou o tipo da pessoa que fica indignado com o josé dirceu e nao sabe sequer o nome de dois miniostros do governo.

  • littodiniz

    Tironi, como ainda nós torcedores ainda não tivermos o prazer de conhecer o novo maracanã, estava na praia conversando com uns amigos e chegamos nas seguintes dúvidas: Em caso de de decisões de 2 times grandes do Rio, existe divisórias de torcidas nas arquibancadas ou está tudo misturado? existe lugar para ser colocada as faixas das torcidas? em caso de decisão e o maracanã lotado como voce vai achar a sua cadeira com numero , e já pensou vc chegar e não ter lugar para sentar e vc chega no seu lugar e o cara não quiser sair, com vcvai chamar a polícia com aquele tumulto todo, até aí vc já perdeu o jogo? e agora criança continua entrando de graças e vai oculpar cadeira normalmente? fica as perguntas até o primeiro jogo decisivo.

  • Apesar de toda modernidade, tenho saudades do MARACANã antigo. Não gosto de estadio de futebol ser chamado de ARENA, espero que não inventem esse nome pro nosso maraca atual.

  • Márcio

    O velho maraca se foi quem viveu os domingos maravilhosos, os sábados inesquecíveis e as quartas memoráveis viveu as novas gerações nunca viveram as nossas emoções, não sei como vai ser quando for a primeira vez que for neste novo estádio que me desculpe não é mais o maracanã o MARACA como nós cariocas gostamos de falar, dos 399 gols do rei ZICO, da rede véu de noiva, da metragem máxima do campo, da impossibilidade de se fazer retranca e principalmente da monumentalidade, muitos falam de modernidade, mas o Santiago Bernadeu do Real Madri é um estádio moderno sem perder a tradição, Camp nou do Barcelona idem e as novas arenas da Europa por mais modernas que sejam procuraram manter seus verdadeiros torcedores e não aqueles que acham que jogo de futebol é passeio em shopping center, veja o estádio do Borussia e a sua torcida muralha amarela naquele local só tem acento nos jogos da champions por exigência da UEFA nos jogos do campeonato alemão aquele local nem acento tem e são os ingressos mais disputados e olha que os alemães vendem os ingresso antes da temporada começar, este não o Maraca que conheci por o POVO não vai mais poder frequentar o estádio, este novo estádio é elitista são para aquele que após 10 minutos estão vaiando o time.

  • Acho que o Maracanã deveria ter 2 gerais ,pegando o exemplo do estádio do Borussia mesmo com modernidade não perdeu sua tradicional geral e voltar com as antigas redes caidas e gostei da aproximação da torcida com o campo e não deve ter proteção,pois está na hora de mudar a cultura do país ‘

  • Renée Da Vinci

    Quanto a beleza, conforto, modernidade, padrão europeu, etc., tudo bem. O problema – como sempre – é a corrupção endêmica que reúne – como sempre – políticos e empreiteiras. Como disse alguém que entende do assunto, mais barato seria construir um novo. Mas talvez não desse tanto lucro… pra eles.

  • Marcelo Gottardi

    Quem fez a Lenda do Maraca, foi o publico que passou, passa e vai continuar passando por ele … Sem nós torcedores, qualquer que seja a configuração do estádio, ele não passa de concreto, ferro e cimento… A alma do Maracanã somos nós, torcedores cariocas que frequentamos o estadio. Agora acho engraçado os jornalistas babarem um ovo danado do estadios europeus e americanos e ficarem choramingando pelo Maracanã que caia aos pedaços, tinha mijo por todos os lados, sufoco p entrar e sair e que se danasse o torcedor q podia ter pedaços do estádio caindo na cabeça. Não tem mais geral alias não tinha já faz tempo e nem isso impediu emoção alguma e o surgimento de outros personagens como o Obama e seus seguranças, o Sherek.
    Discuta se o valor gasto, agora nem teve jogo lá direito e já tão criticando. Ai tb é ser muuuito cricri

  • phsoares

    Olha, insisto, como muitos, que não se trata de saudosismo. É fácil pedir para o povo ‘desapegar’ de velhas tradições. Mas o costume de ‘desapegar’ sempre pode gerar esse novo costume de destruir e construir um novo, o tempo todo (e com muito dinheiro público). Foi isso que vimos no novo maracanã, reformado tantas vezes desde 2007, com muito dinheiro público. Privatizado, a ‘arena’ (porque as autoridades dizem que não é mais um estádio) é um símbolo da elitização do futebol, porque o ingresso jamais será barato, pois com certeza há a cultura dos donos dessa nova arena que pobre pode quebrar as poltronas novas. Como a maioria dos torcedores são pobres, podem apostar que veremos jogos com o novo maracanã vazio, assim como já vimos nos jogos do carioca e do brasileirão do ano passado. Uma pena. Mas já fizeram, e não adianta chorar, apenas registrar a indignação.

  • Vinícius

    Muito bom texto!!!Sou seu fã!!!Infelizmente os momentos que passei no maraca ficarão apenas na lembrança então…Uma pena.Como torcedor quero ser bem tratado, poder beber minha cerveja e confraternizar com os amigos, não precisava de tanta pompa para o novo maracanã,não estamos na Europa e nosso jeito de torcer é muito diferente do deles, nossa cultura é diferente.Enfim, que as mudanças sejam positivas pelo menos…

  • Marcelo

    Será que eu estou lendo isso mesmo de um jornalista?? Quer dizer que devemos desmanchar as grandes avenidas e substitui-las por ruas estreitas que faziam parte da nossa vida?? Vamos derrubar os prédios nas grandes cidades para substitui-los por casinha mais “aconchegantes”?
    Voces não estão levando e discordância com a copa no Brasil longe demais?

  • Samuel Albuquerque

    Por um lado é triste,mas convenhamos o nosso maraca já estava necessitando desse ar de modernidade.O torcedor pagava ingressos caros sem retorno no conforto, acessibilidade e segurança.Portanto nós devemos comemorar.O maraca é nosso !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! COM RELAÇÃO AOS GASTOS(SUPERFATURAMENTO), O MINISTÉRIO PÚBLICO QUE APURE TODAS AS DENÚNCIAS VEICULADA PELA IMPRENSA.

  • João Guilherme

    Pra que lado fica o gol da Estrada de Ferro? E o gol do Ginásio?

  • jociel

    o maracanã morreu… ainda bem… zico foi o artilheiro, o flamengo se dizia dono, a torcida mulamba sempre foi maioria e não aguentava mais ver o vasco tomar chocolate em tudo quanto é final… agora, tomara que seja estádio novo, vida nova… aliás, podiam mudar o nome logo… assim, nunca mais se remeteriam a ladrilheiro, petkovic, zico etc etc etc

  • Ed Dantas

    desculpem o erro inicial, o certo é gostei do texto.

  • Ed Dantas

    Gostei do testo Tirone, acho que tocou nos pontos certos, o saudosismo de quem viveu o maracanã do passado e aqueles que irão aproveitar do novo maracanã. Acho que nossos estádios tinham que passar pela modernidade, afinal conforto, boa visibilidade e segurança, são importantes para o espetáculo. Acho que existe um certo exagero quem defende a preservação de estádios, acho que o único ponto que realmente é quase unanimidade é o custo de tudo isso, temos coisas mais importantes para gastar dinheiro.

  • Eduardo Cordeiro

    Esse Fernando Alves não deve bater muito bem da cabeça não. O q tem a Unimed a ver com o post sobre o Maracanã??? E outra ô mala, se não está satisfeito com seu plano de saúde, mude para outro, simples assim. Tem tantos outros. Ou vc é um daqueles chatos q tem como um dos únicos prazeres da vida, RECLAMAR. Tem Sul América, Amil, Golden Cross, Bradesco Saúde, Medial, Dix, Allianz… Viu, em menos de 20 segundos coloquei quase 10 aqui. Pára de reclamar, levanta seu rabo do sofá pra fazer alguma coisa. Agora, reclamar aqui??? Ou então, TODOS sabem q o Dr. Celso Barros trabalha na Unimed, lá na Barra. Levanta o bundão do sofá, vai lá e reclama com o próprio. Ou vc seria um torcedor invejoso q não tem um investimento desse no seu time? Cara chato.

  • sandro gomes

    Menos mal que mataram o Maracanã em doses homeopáticas, primeiro acabando com a Geral. Quem passou a infância tendo o estádio como segunda casa já tinha percebido que sem a Geral as coisas não eram as mesmas. Agora sem também as arquibancadas o estádio foi sepultado de vez. A esperança é que, depois da copa, com a sequência de jogos dos verdadeiros donos do Maraca – os clubes –, a magia retorne e a história continue. Mas agora, com essa primeira visão do novo Maraca, a impressão inicial não é de continuidade, mas de uma página que se fecha, pra se abrir outra completamente diferente. Só o tempo vai dizer.

  • fernando alves

    A UNIMED invés de gastar dinheiro com jogador de futebol deveria melhorar o seu atendimento e investir na saúde dos seus clientes que vivem morrendo nas portas de hospitais públicos deste país. VC QUE CLIENTE DA UNIMED E NUNCA É ATENDIDO PELOS MEDICOS VINCULADOS A ESTA EMPRESA É HORA DE DIZER NÃO A ESTA SITUAÇÃO, SO O FRED GANHA 600 MIL. E VC MORRENDO SE ATENDIMENTO.

  • Marcio Ferreira

    Penso exatamente da mesma forma e tive a sorte de aproveitar e muito o Maracanã.
    É muito legal a experiência de ver uma Copa do Mundo em casa e tudo mais, mas a Copa vai passar e o Maracanã vai ficar e o que ele era e representava mudou e muito…
    Só espero que não perca aquela magia que tinha com 100 mil ou com 10 mil pessoas…
    Assistir um jogo lá não é comparável a nada, mesmo com todos os inconvenientes que tinham para conseguir entrar no jogo…

  • agora falta ao povo se dar o respeito….veja o caso da fonte nova….jogaram um monte de coisas no gramado….o maraca deu o primeiro passo…vamos ver se o povo vai merecer…
    SRN.

  • Realmente muito bom seu texto Tironi. Falar do maraca é realmente falar do passado de tantas glórias que ele já viveu, de tristezas, sorrisos e alegrias. Sempre quando vejo meu pai, falamos sobre o maraca e de tantos jogos inesquecíveis que já ocorreram no templo do futebol. Frequento o Maraca desde de 95 e hoje nós temos um outro estádio é claro. Moderno, com lugares marcados, cadeiras confortáveis e uma ampla área vip e ampla mesmo, afinal temos que nos adequar… Ou melhor, “copiar o velho continente”. Para quem frequentou o maior do mundo antes das reformas, subindo por uma de suas eternas rampas de acesso chegando as eternas arquibancadas, jamais vão esquecer da emoção que se sentia ao estar ali junto a milhares de torcedores vendo seu time. A frase “recordar é viver” se encaixa perfeitamente em nossas memórias e só quem esteve lá e viveu poderá contar essas histórias. Que venha o novo maraca e com ele, muitas outras grandes histórias. Abraços a todos.

  • ALAN

    Concordo com o que o Muca disse, vcs da impressa já eram pra mudar o discurso. Que continue a bater na questão dos valores, mas ficar com essa historinha de “ahh, o velho maraca acabou”. Acabou mesmo, e daí. Veja o Juventus Stadium, pergunte aos bianconeiros se eles querem voltar ao Del’alpi, pergunte aos Gunners (Arsenal) se não estão sarisfeitos com o Emirates (se não me engano, o estádio que mais dá retorno na europa). Chega de saudosismo, por mim, podia era ter demolido e feito tudo novo, tvz teria ficado mais barato.

  • Iuri

    Realmente é um momento de transformação. Se mantendo as estruturas tradicionais, também tivéssemos mantido o futebol plástico de um tempo não tão distante assim, não haveria problema, mas o que passamos hoje? O futebol moderno é de bola tocada no chão. Como?!… Nosso futebol deteriorou, assim como os estádios. Nosso futebol precisa de reformas, qual será o custo dessa reforma então?

  • PAULO GIMENEZ

    O Maraca que frequentei e vivi momentos inesquecíveis desde 1980 morreu.
    O novo Maracanã é bonito e confortável como dezenas de outros estádios por aí.
    Ele deixou de ser um estádio único para ser apenas mais um.
    Aliás,já repararam que estes novos estádios brasileiros são todos iguais?

  • Belíssimo texto.

    Quero ver o novo Maracanã e lembrar do “antigo” onde fui muitas vezes…

  • Anna

    Lindo, Edu! Adorei!

  • Muca

    Olha Tirone, és um belo texto… mas vocês tem sido extremamente parodoxos quanto a isso…
    Passam vangloriando os estádios europeus, nos trazendo as informações sobre conforto, respeito, etc… Acho que já era hora de chegar aos nossos estádios todos estes adjetivos! Até entendo fato de não ser mais o mesmo maraca, mas como tudo neste mundo maluco, as pessoas – nem todas – as coisas se renovam, então o povo já não via a hora disso também nos nossos estádios!
    Podemos sim questionar os valores gastos, se é um absurdo ou não – na minha opinião, é caso de polícia – mas o povo brasileiro espera tal conforto e respeito (??) nos estádios há tempos já!
    Abraços

  • Nossa, que belo texto, parabéns Tironi, conseguiu externalizar muito bem seu ponto de vista através de um emocionante texto.

  • Lindo texto, Tironi. Valeu.
    Ajuda ai a divulgar meu blog (blogdolucao.com.br). Agradeço.

MaisRecentes

E se der tudo errado?



Continue Lendo

Muita calma com Rueda



Continue Lendo

Muitos jogadores, nenhuma ideia



Continue Lendo