1o gol do Galo seria anulado numa pelada



Um jogador de alguma forma distrai o goleiro adversário pedindo água, é atendido e aproveita o momento para criar uma jogada (totalmente lícita, diga-se) e fazer o gol. O que aconteceu no Estádio Independência quarta-feira nunca seria validado se tivesse acontecido na pelada que você, leitor, joga toda semana.

O jogo poderia acabar em briga. Ou a turma do deixa-disso entraria em ação, daria bola ao ar e o jogo prosseguiria. Com direito a cervejinha, churrasco e abraços depois do jogo.

Qual a diferença entre o que aconteceu no Independêndia e o que teria acontecido na sua pelada? O jogo da Libertadores está balizado pela Lei. A pelada com seus amigos está balizada pela moral.

Na Libertadores estão em campo 22 caras que fazem do futebol sua profissão. A vitória ou a derrota tem enorme valor. No seu futebol, o máximo que você está fazendo é fingir que é craque uma vez por semana.

Não há nada de ilegal no lance do primeiro gol do Galo. E, considerando que Ronaldinho Gaúcho utilizou de malandragem, o fez com maestria. Fazer tudo o que for possível para ludibriar o adversário dentro da Lei é quase que uma questão de sobrevivência no futebol profissional.

Na pelada, Neymar teria vida curta se cavasse faltas como faz profissionalmente. Porque a pelada não abre espaço para malandros nem juvenis. Ali é o jogo jogado. A moral (este valor que está acima da Lei) é o que vale.



  • Marcello

    Tironi…O Carlos Bolivia TEM RAZÃO, aliás, ele DESCREVEU perfeitamente sobre o seu texto..

    Texto ,por sinal, ridiculo e fora de hora.
    Aposto que vc é sãopaulino enrustido..

  • Helder

    Não acho q o q tem q ser mencionado aqui seja a moral ou falta dela, e sim, foi falta TOTAL de atenção da defesa do SP. Vc já deve ter visto, qd o treinador adversário coloca um jogador para marcar o craque ou pensador do outro time e fala “cola nele, não sai de cima dele nem qd ele for na beira do campo p/ ser orientado pelo tecnico dele” – e qtas vezes não vimos essa cena no futebol?

    Malandragem? Não, e sim, DISPLICÊNCIA da defesa do São Paulo. Total DISPLICÊNCIA.

    Na pelada de rua, eu uso o meio fio p/ fazer tabela, e ai? malandragem? não importa, é válido, na pelada é válido, assim como no futebol é válido receber a bola de um arremesso lateral em posição de impedimento, q não existe.

    Pela fisionomia de R10 ao ir pedir a agua, ao sair de perto do Ceni se percebe q ele foi lá p/ beber agua msm, boba, inocente, foi a defesa do SP. Duas vezes q deram espaço pro r10, uma nessa lambança DA DEFESA e outra no 2º gol, Ganso marcando?! O galo foi lá e meteu gol. O craque do time, o pensador, não tem nem q respirar em jogos como esses, exemplo disso, oq o Jadson vez no jogo? O carrapato do pierre estava lá em cima dele o tempo todo. Enfim, DISPLICÊNCIA total da defesa são paulina, unica, pura e simplesmente.

  • Pedro Moreir

    Na moral, estás coberto de razão….na pelada entre amigos não há espaço para espertezas…

  • Aline

    Oi Tironi, eu achei sua comparação válida, apesar de não jogar pelada kkkkkk…mas como o que vale é a regra e foi uma cochilada do São Paulo.

  • Carlos Bolívia

    Nossa Tironi,

    Esse texto está sofrível. Apela a um moralismo tão superficial. É triste, viu.

    1) Você idealizou a pelada. Quem disse que na pelada não tem malandragem? De onde você tirou essa moral tão reta e inflexível para a pelada? Eu já vi pessoas quebrando a perna por causa de jogadas desleais e desnecessárias em peladas. É muita idealização. Você está realmente muito afastado do mundo das peladas.

    2) Ainda sobre a pelada. Que pelada tem lei de impedimento? Que pelada tem bandeirinha para marcar impediment? Sendo assim que pelada tem uma exceção à lei do impedimento (como é o caso do lateral?). O argumento é muito fraco e inverossímil.

    3) O texto apela a um moralismo muito conveniente. É muito fácil um time derrotado buscar esses argumentos morais. Sempre tem alguém que comete uma falta malandra ou faz uma encenação qualquer no jogo. É só escolher o alvo e encontrar algo imoral. Por isso é melhor se ater às regras, senão você cai no bairrismo e no discurso tendencioso.

    Gosto do seu trabalho, mas este texto foi triste.

    COMENTÁRIO DO BLOGUEIRO

    Não foi moralismo nenhum, meu caro. Só uma comparação do que acontece no futebol profissional e do que acontece na pelada nossa do dia-a-dia. Não defendo nem Atlético nem São Paulo, tanto que frisei que o gol foi legalísimo. Abs

  • Adriane

    Parabéns pelo texto, Edu!

    Nunca é bom ver seu time cair num lance desses e sim se fosse numa pelada, o pau caia, mas dentro da lei, das regras é válido. Méritos do Ronaldinho e mancada dos jogadores do São Paulo que não prestaram atenção.

  • Beth

    Gostei do seu post.Gostava de ouvir seu comentários no bate bola (não assisto mais o canal desde a final da sul americana).Concordo com o disse o Hugo(14:45).Se um jogador do SPFC tivesse feito o que o R.Gaucho fez a reação da imprensa seria outra.

  • Douglas

    Numa pelada, o vice-governador do Estado – chefe da polícia e dono de um dos times – não fica à beira do gramado.
    Numa pelala, ninguém chamaria a polícia pelo fato de um jogador apelidado de grafite ser “ofendido” em campo. Há brigas, mas tudo se resolve no campo, como homens.
    Numa pelada, os vestiários (quando há) não são infestados por gás de pimenta pela própria equipe que ali está, principalmente quando está perdendo o jogo.
    Numa pelada, os seguranças de um time (nunca vi seguranças de um time numa pelada) não cercam, acuam e agridem o time adversário.

    Tudo se resolveria dentro de campo “com direito a cervejinha, churrasco e abraços depois do jogo”. Atitudes de homens de caráter, que agem com a moralidade dos campos de várzea.

    O que o Rolnado fez está dentro das regras do futebol e, mesmo que fosse nas “regras de pelada”, ele não saiu do campo. O discurso de moralidade é apenas desculpa do time derrotado. Falta de caráter em assumir que o outro time (o atlético) jogou melhor e venceu.

  • Atila Miranda

    É sério isso??? Este post só pode ser brincadeira….
    Pois bem, já que é pra falar de moral, voltemos ao BR12, empurrar o adversário na hora da falta vale??? Puxar a camisa do adversário e ainda assim RECEBER falta, vale??? Deslocar o adversário na hora de cabecear pro gol vazio e não ser pênalti, vale???
    Com todo respeito Tirone, cuide dos seus timecos ai do Rio, tú só sabe falar mal do GALO, foi assim o ano passado todo e começou esse ano de novo. Bairrista já é um saco, mas pior é um paulista que chupa time carioca…

  • Pedro Henrique

    Inclusive no meu biribol qnd a bola toca de raspão no cara e mais ng, absolutamente ng, percebeu o cara se acusa e “dá” o ponto pro adversário, e o mais sinistro é q ng do time “prejudicado” com a honestidade acha ruim, o cara é até cumprimetado… agora quando isso vai acontecer quando está algo mais em jogo além da diversão?! Nunca… é capaz da mesma pessoa agir diferente… ou mesmo q essa n haja… n espere q esse exemplo seja seguido por mais do q dois ou três…

  • rodrigo

    vc é o cara que reclamava do politicamente correto no futebol?

    bem consistente, hein?

  • Luiz Neves

    Não concordo que o Ronaldinho tenha sido malandro, ao meu ver ele nem viu que foi lateral, foi bobeira da zaga do SP e só.

  • Pedro Henrique

    Belo post… disse tudo! Na pelada a moral vale mais do q a lei e quem deeeeeeera isso fosse possível de se verificar quando algo mais está em jogo, mas estamos loooooooooooonge desse mundo.

  • Hugo

    Eu faço a mesma pergunta que eu fiz no seu twitter. se fosse o pobre coitado do Luiz Fabiano, será que todo mundo estava com essa história de que isso faz parte da “cultura do povo brasileiro”!? Provavelmente estariam escrachando o rapaz numa hora dessa. Fazer o quê, um time pequeno da argentina veio aqui praticar violência no futebol, e a primeira coisa que parte da mídia fez, foi usar avelha história do “culpe a vitima”!!!

  • Marcelo Geromin

    Tironi, uma vez na pelada eu saí pra beber água. Estava na beirada da quadra com o copo na mão quando eu vi o adversário chegando em direção ao gol sozinho… Ele não me viu ali perto, driblou o goleiro e mandou um toquinho pro gol. Entrei com o copo na mão bebendo água e dominei a bola.

    Hahahaha, foi uma confusão mas o gol não foi anulado.

MaisRecentes

Segue a tempestade no São Paulo



Continue Lendo

Lições do Brasileirão



Continue Lendo

O Imortal Grêmio ressuscitou o jogo bonito no Brasil



Continue Lendo