Futebol sul-americano sofre com o marketing da “valentia”



Desde os anos 60 o futebol sul-americano carrega duas marcas fortes: o talento para se jogar bola e a valentia. (esta no pior sentido da palavra).

Por conta da segunda característica, clubes europeus, por anos, se recusavam a jogar contra os sul-americanos, alegando receio de contusões ou de adentrar  em um terreno do vale-tudo que envolvia doping, intimidação, etc.

Os anos se passaram. Razoavelmente ainda somos vistos como o continente em que nascem talentos (menos do que no passado), mas inteiramente ainda somos vistos como o local onde jogar bola é apenas um entre vários fatores que determinam um time vencedor.

Uma  das questões mais importantes nesta história é que na América do Sul isso é visto como virtude e não como problema.  Involuntariamente ou não, faz-se um marketing que valoriza catimba, medo, violência, pressão, etc… “Faz parte da cultura do Sul-americano”, dizem.

O que aconteceu quarta-feira no Morumbi foi o retrato disso. Argentinos desembarcaram aqui para fazer tudo e, quem sabe, jogar bola para tentar o título. O São Paulo tentou jogar bola mas seus seguranças travaram uma batalha contra os rivais no intervalo. Não espere aqui uma posição sobre quem tem razão. Provavelmente ninguém tem e muito provavelmente a verdade nunca chegará.

Quando a Conmebol não se interessa em descobrir e punir responsáveis, isso indica que o que aconteceu no Morumbi faz parte do pacote “futebol sul-americano”. Faz parte do marketing da “valentia” que se prega aqui há anos.

Muita gente se preocupou com a imagem que o Brasil passou para o mundo às vésperas da Copa depois do episódio do Morumbi. A turma da Conmebol deve ter esfregado as mãos, satisfeita com a mensagem que passou.



  • Luciano: Depois que você parou de jogar bola, você recebeu algum convite pra retornar a jogar futebol?

  • Sérgio

    @Vitor, futebol europeu não tem esse ‘cavalheirismo’, não. Pelo contrário, torcedores violentos, racismo e brigas em campo – e fora dele – sempre marcaram o esporte no Velho Continente. O ponto que o texto está fazendo é que hoje em dia, a UEFA vem tentando dar um jeito nisso, às vezes acertando (ex. punições severas ao racismo) e às vezes dando bola fora (ex. proibir a torcida do Celtic de cantar suas tradicionais canções). Enquanto isso, a Conmenbol pouco ou nada faz. Você tem todo o direito de não gostar, mas existe uma diferença entre futebol empolgante e futebol violento. Quem quer violência, que vá assistir rugby.

    @Evandro, até aqui vocês vêm falar de Corinthians? Vocês antis hein! Fala esse monte de abobrinha aí, mas a verdade é que se fosse com o Corinthians, iam dizer que compramos o time do Tigre para eles desistirem da partida e ganhamos de forma roubada. Sim, pois aparentemente, o Corinthians é o time mais poderoso do mundo… Compra título, compra adversário, compra confederação. Só me pergunto, se o Corinthians tem tanta grana pra comprar toda essa gente, porque não traz logo Messi, CR7, Piqué, Iniesta e Ibrahimovic logo? Afinal de contas, dinheiro para isso é o que não falta! Se liga, palhaço!

  • Vitor

    Tironi,
    Interpretando seu texto, percebo que aprecia mais o futebol europeu do que o sulamericano.
    Infelizmente essa é uma corrente cada vez mais difundida, uma vez que valoriza tudo que acontece no futebol do velho continente, menosprezando nosso estilo de jogo.
    Acho o futebol europeu muito chato, onde é valorizado dar beijo na testa após o jogo do que xingar o cara e tirar sarro por ter vencido.
    Todos já jogaram futebol com amigos, e todos já presenciaram confusões, então pq o futebol europeu, com todo aquele cavalheirismo, tem de real? São todos artistas representando, não jogando com a real emoção que o jogo proporciona!

    Gostaria de ver os brasileiros valorizando mais o que fazemos aqui, ao invés de achar que tudo que vem da Europa/EUA é melhor.

  • Léo Dutra pereira

    O comentário do Luiz Ribeiro esta perfeito, o São Paulo sabia e todo mundo sabe que quem queria melar o jogo eram eles, agora o São Paulo deveria ser um bom anfitrião exatamente para não nivelar por baixo,mas temos um Juvenal que tentou impedir que o time deles fizesse aquecimento no gramado antes do jogo e eles simplismente atropelaram os seguranças do Juvenal (presidente subjúdice até quando?)que deveria ser presidente de um clubeco desses por ai não é mesmo?

  • Everton Martins

    Eu sou são-paulino, gosto muito de futebol, acompanho futebol, mas não sou nenhum ” nó cego “, ipócrita e acho que patriotismo nessa hora não cabe.
    Os argentinos do Tigre provocaram briga sim, mas os jogadores do São Paulo não fizeram o mínomo de esforço para evitar a confusão, tanto que no primeiro jogo na Argentina foi o Luis fabiano que provocou a briga, e no jogo do Morumbi, quem começou a Adar ponta pé foram os jogadores do São Paulo ( Wellington, Denilson, Rodolfo ), com entradas duras e sem necessidade, ja que o jogo estava no começo.
    Mas quem saiu mais prejudicado nessa historia foram os torcedores, que pagaram para ver um jogo de 90 minutos, e viiram apenas 45 e um festival de porradas.
    Lamentável, é por essas e outras que a audiência no brasileirão caiu bastante este ano, e o grande motivo é que brasileiros estão deixando de ver os jogos do brasileirão para ver os campeonatos ouropeus, pois lá sim vemos organização e dentro de campo, os times só se preocupam em jogar futebo…..

  • carlos

    talento e sempre por parte do Brasil e valentia e covardia por parte de uruguaios, argentinos , paraguaios e cia. sempre foi assim, ao ponto de nossos clubes nunca terem dado a minima pra libertadores dos anops 60, 70 e 80, essa é a verdade…

  • Emerson

    Bom sinceramente acho o comentario valido mas td isso e valido sim dentro de campo se o cara da a cotevelada e o juiz nao da falta o problema nao e dele, Osses deixou o jogo correr muito como se diz na giria futebolistica, acredito que o maior problema e a falta de punicao inclusive ao SP e os seus despreparados segurancas

  • Alexandre

    Tirone,

    VC vai me desculpar, quem desde o primeiro jogo queria brigar, fazendo o jogo da intimidação.
    No Morumbi depois que o jogo já estava perdido tentaram agredir os jogadores do SPFC.
    E esse monte de varzeano argentino de uma hora para outra viraram santos. tem que ser muito
    ingenuo para acreditar nesses bando de covardes.
    Na delegacia incrível não falaram de armas, o goleiro encrenqueiro mostrou uma marca no peito que até minha filha de 3 anos tem quando cai no chão.
    E diziam que estavam com medo de ser agredido, tem que ser muito tonto para acreditar nesses caras.

  • Fiquei indignado e muito triste ao ver a posição de alguns “jornalistas” brasileiros sobre o fato ocorrido na quarta-feira, final da sul-americana.
    Se posicionaram de forma parcial, brigando contra as imagens, contra tudo que ocorreu no primeiro jogo, algo absurdo que só mostra o claro interesse de alguns “jornalistas” em procurar desprestigiar a conquista de um clube que foi vitima e não vilão.
    A posição do jornalista Mauro Cezar Pereira no programa Bate Bola 13/12/2012 é algo para se esquecer (pois considero um excelente jornalista), falou muita bobagem protegendo um time mediocre, falando sobre o amadorismo (segundo ele) do São Paulo por não deixar o Tigre usar o gramado, algo ridiculo, pois em diversas oportunidades o tricolor também não pode se aquecer no gramado, não pode fazer reconhecimento do gramado. Os brasileiros (São Paulo e alguns jornalistas) foram agredidos de forma gratuita na Argentina no jogo de ida. O time mediocre e coverde do Tigre bateu nos dois jogos e a arbitragem sul-americana foi conivente, permitindo a pancadaria proposta pelo Tigre. Ninguem fala que o São paulo foi agredido nos dois jogos, ninguem fala sobre os jornalistas agredidos na argentina, ninguem fala que eles procuraram a todo momento a violencia, a confusão, a covardia. Ninguem foi ouvir os seguranças agredidos. Ninguem diz que no depoimento prestado pelos jogadores e comissão tecnica do Tigre na delegacia eles não citaram o “revolver” tão comentado. Porque nas imagens feitas dentro do vestiario nenhum jogador ou comissão tecnica aparece machucado? Isso ninguem fala! Ninguem fala sobre a destruição do vestiario, sobre a tentativa de invasão do vestiario do tricolor. Ninguem fala do Lucas agredido covardemente e sangrando muito. Mas da marquinha de sangue na parede passada com a mão ainda sem explicação (pra não esquecer do caso de Roberto Rojas se cortando no maracanã) todo mundo fala.
    Lamentável, se fosse com o time da marginal, que é envolvido com mafia russa, lavagem de dinheiro, esquema de arbitragem, jogador estelionatario (emerson), entre outros escandalos, ai tudo era festa. O timinho ia ser endeusado por agredir (mesmo sem provas) argentinos “safados”, ia ser a prova da raça do timinho, contra a covardia dos hermanos.
    Imprensa sensacionalista e parcial, bom… pelo menos quando este time é o São Paulo.
    Será que se a diretoria tricolor fizesse o pagamento de salario “paralelo” a alguns jornalistas assim como a diretoria de um clube rival faz, os comentarios seriam os mesmos?
    #imprensa_vendida

  • palmeirense

    Tá explicado como esse timinho foi 6-3-3…

  • Luiz Ribeiro

    Comentário perfeito. Que houve confronto entre os seguranças e a delegação argentina não há dúvidas, certamente iniciado pelos hermanos, pois ao São Paulo, que estava bem na partida, não interessava qualquer tipo de tumulto. Provavelmente, alguém da confiança do Nicolás Leoz informou-lhe os fatos tais como aconteceram, sem a culpa do tricolor, e ele decidiu entregar logo o troféu e o título de campeão.
    Com relação à imagem do Brasil, infelizmente a imprensa internacional, turbinada pela argentina, optou por adotar a versão do Tigre, e aí o estrago já foi feito. Sem um inquérito sério, não haverá como ao menos atenuar a impressão que ficou.

  • Nikita

    Problema do brasileiro é ser super patriotista, time argentina é catimbero e violento sim, aindamais time pequeno e ruim.
    Mas brasileiro não são santo,a gente sabe nosso instinto e nosso dia a dia.
    Se jogadores se envolvem em brigas de boate, bate na sua própria esposa, da tiro na mão da acompanhante, mata a namorada, acham mesmo que não dariam umas porrada em jogadores toscos de um país visto como adversário por a gente?
    Brasil deve ser um dos países que mais sofre preconceito no mundo e ainda assim tem preconceito com seus vizinhos.

  • Roberto

    Vcs ainda tem dúvida de quem é a culpa de tudo o que aconteceu?? Desde o primeiro jogo na Argentina os cara não queriam jogar bola, queriam guerra desde o primeiro minuto. Não sei qual o motivo de querer puxar a sardinha pro lado dos Argentinos.

  • bruno

    europeus sempre serão assassinos fingindo q s=ao bons e o pior e q todos os paizes colonizados por eles acham q tem q seguir a cultura deles!

  • bruno

    a fifa mafia nunca passou imagem boa é tudo mentiraaaaaaaaaaaaaaaa voces todos vivem e amam o dinheiro de assassinatos !o priemiro assassinato foi o de jesus e esta agora nas televisões explicito!até quando!?

  • Cacau Vaz,

    só pra reforçar o que você comentou, é importante ressaltar que na versão que os argentinos apresentaram na delegacia eles NÃO mencionaram a existência de uma arma de fogo. Daí você vê o quão verídica é a história deles, né.

  • Cacau Vaz

    Tirone, podemos, talvez, nunca saber exatamente o que ocorreu, mas cada versão pode ser inquerida a fim de ser levantar sua validade. A versão dos argentinos é digna de filme, eu duvido que eles mesmos acreditem nessa versão.
    Vi na rádio Bandeirantes uma entrevista interessante com um funcionário do SP que não vi em nenhum dos veículos da ESPN. Aliás, a ESPN, a TV, só ouviu os argentinos e tentou reconstruir o fato a partir deles, e os comentários vieram a partir disso… achei fraca, capenga, a cobertura do evento por parte dos canais ESPN.
    Abraços

MaisRecentes

A torcida que salvou um time salvará de novo em 2018?



Continue Lendo

A lição de Carille e o que vem por aí



Continue Lendo

Em onze dias, o Brasileiro mudou



Continue Lendo