Estádios do Brasil vivem no tempo da ditadura



Naqueles tempos sombrios da ditadura no Brasil, músicos eram obrigados a submeter as letras de suas canções a um departamento de censura do governo. Era necessária uma aprovação formal para que a música (ou livro, peça de teatro, texto jornalístico…) pudesse ser divulgada.

O exercício de artistas para falar o que queriam sem serem pegos pela censura rendeu grandes obras. A tática era revelar ideias de forma sutil, de modo que o censor obtuso fosse incapaz de traduzir como uma oposição ao regime.

Leio em reportagem do jornal “Extra” do Rio de Janeiro que agora (em 2012!) é necessária uma autorização prévia do Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios) para estampar faixas nas arquibancadas brasileiras.

Uma das faixas sistematicamente proibidas pelo Gepe em 2012 diz isso: “Lutem até o fim”. Foi utilizada pela torcida na campanha do Fluminense contra o rebaixamento em 2009.

A censura na ditadura militar proibiu a divulgação de várias coisas sem nenhum conteúdo político no período mais truculento do governo militar. Era proibir por proibir. A faixa “Lutem até o fim” se encaixa no mesmo caso. Estamos nos aproximando dos tempos da ditadura. É o fim.



MaisRecentes

Seleção enfrenta seu primeiro tremor



Continue Lendo

Segue o líder



Continue Lendo

O intervalo que mudou tudo



Continue Lendo