Ainda somos bons dentro de campo e muito ruins fora



Sexta-feira (19 de outubro), Aaron Cawley invadiu um campo de futebol, agrediu o goleiro do time adversário ao seu e voltou para a arquibancada, rindo e comemorando com seus amigos. Segunda-feira (22 de outubro) foi anunciada sua sentença: quatro meses de prisão. Entre a infração e a pena se passaram três dias. Três dias! O jogo foi válido pela Segunda Divisão da Inglaterra.

Em 25 de agosto, Christian dos Santos Madruga e mais um bando de torcedores do Fluminense espancaram dois vascaínos em uma estação de trem perto do Engenhão. De toda a turma, 21 foram presos. 18 já foram soltos, sob alegações como ficha limpa, por exemplo. Madruga (considerado pela polícia como o chefe do bando) e outros dois permanecem presos em Bangu, por já terem antecedentes criminais. O data do julgamento e, portanto a sentença, ainda não foram decididas. Até o momento se passaram pouco menos de dois meses.

Em que pese o fato de termos um caso mais simples e outro mais complexo, espanta saber que no primeiro o assunto já está resolvido e que o segundo está apenas no começo.

Sábado, Tottenham e Chelsea se enfrentaram pela Premier League. Jogão de bola, cheio de alternativas e placar de 4 a 2 para o Chelsea. O árbitro Mike Dean apitou 15 faltas.
No dia seguinte, no momento mais espetacular do Campeonato Brasileiro até aqui, Atlético Mineiro e Fluminense se enfrentaram no estádio Independência. O placar você já sabe, mas talvez não saiba o número de faltas apitadas: 29 pelo árbitro Jailson Macedo de Freitas. Este jogo terminou e o torcedor que ama futebol comemorou o fato de a arbitragem não ter conseguido ser protagonista (apesar do lance polêmico da falta na barreira) e pelo fato de a bola ter rolado muito. Dá para entender, afinal no dia anterior Paulo Henrique Godói Bezerra parou com falta o jogo Grêmio x Coritiba inacreditáveis 47 vezes.

Outro dia, Barcelona x Real Madrid se enfrentaram no Camp Nou em um momento político importante na Espanha. Na arquibancada, um enorme mosaico apareceu com as cores da bandeira da Catalunha. Era uma manifestação escancarada dos catalães pela independência da região. Domingo, um mosaico em protesto contra a CBF surgiu na arquibancada do Independência. O STJD entrou em ação e vai analisar o caso. O Galo pode ser punido. Dias atrás, um jogo nos Aflitos não começou enquanto uma faixa escrito “Não vão nos derrubar no apito” não fosse tirada da arquibancada.

Jogos como Atlético Mineiro x Fluminense nos dão uma alegria que parecia escondida ao nos mostrar que ainda somos bons demais dentro de campo. O problema é que ainda somos muito ruins em tudo o que cerca o jogo.



  • Sexta-feira (19 de outubro), Aaron Cawley invadiu um campo de futebol, agrediu o goleiro do time adversário ao seu e voltou para a arquibancada, rindo e comemorando com seus amigos. Segunda-feira (22 de outubro) foi anunciada sua sentença: quatro meses de prisão. Entre a infração e a pena se passaram três dias. Três dias! O jogo foi válido pela Segunda Divisão da Inglaterra.

  • Concordo plenamente Tironi, é triste relembrar diariamente a má gestão e falta de competência, sobretudo no judicário de nosso país…

  • Garrido

    Só não concordo com uma coisa, se o caso na inglaterra já está definido com uma pena de 4 meses de prisão os mesmos tricolores que estão presos até hoje praticamente já teriam comprido a pena faltando só alguns dias, mas conhecendo a justiça brasileira vão enrolar o caso até cumprir 6 meses e depois vão encerrá-lo por ter expirado o prazo para conclusão do inquérito, assim dirão que deram uma resposta aos torcedores.

  • Me desculpem, mas já desisti há tempos de ver este país se tornar sério….se pudesse tava bem longe daqui…nem meus netos, quando nascerem, conseguirão ver o Brasil respeitado pelo mundo.

  • Francovieira

    Preto no branco, nem por ou tirar..Brasil continua bom dentro de campo é péssimo fora dele…

  • André Luis de Carvalho Tozzi

    Tironi, boa tarde!

    Excelente post! Concordo em praticamente tudo que você escreveu, estamos muito atrás de países do ‘Primeiro Mundo’, em todos os sentidos, legislação, cultura, casos de prioridade de investigação, etc. Não se muda uma cultura de uma nação de uma hora pra outra, ou seja, o brasileiro continuará sendo assim por muitas e muitas gerações.

    Abraços,
    Tozzi

  • Hu

    Mais um exemplo absurdo Eduardo:
    http://extra.globo.com/esporte/fluminense/fluminense-faixa-simbolica-da-arrancada-contra-rebaixamento-esta-vetada-no-engenhao-6520423.html
    Temos muito a melhorar mesmo, algumas “décadas” no atraso…

  • A administração do futebol brasileiro precisa melhorar e muito

    STJD querendo aparecer mais que Ronaldinho Gaúcho, Neymar, Deco, Fred e etc.

    Datas-FIFA batendo com o Brasileirão

    O olho eletrônico que já deveria ter sido implantado há décadas !

    Muita coisa precisa mudar por aqui

  • Vinicius Posterari

    Brilhante!

    Parabéns.

  • claudio oliveira

    Brasil a justiça é cega e estúpida. Nunca vai mudar, nunca. Eu vou morrer e nascer de novo mais umas 3 encarnações e o malditos problemas continuarão os mesmo. Só como a inflação estes vão estar bem maiores e menos solúvel ainda.
    Só olhar o julgamento do mensalão que os cabeças foram absolvidos e os sem padrinho políticos foram condenados. É, esperança aqui no Brasil ja morreu faz tempo.

  • Marcelo

    Concordo nossas autoridades deixam a desejar e em relação as nossas leis, sem comentários.

  • Leandro

    texto perfeito.
    mesmo tendo muitos jogadores fora, ainda temos potencial técnico para fazer bons jogos. só que a mentalidade tanto dos jogadores quanto dos árbitros tem que mudar em prol do espetáculo.
    quanto a cbf e o stjd é melhor nem comentar…

  • Rafael

    Primeiro texto seu em que concordo!

MaisRecentes

Satisfeitos com pouco



Continue Lendo

Calma, Corinthians!



Continue Lendo

A imagem da semana



Continue Lendo