Torcida carioca está fora operação como o Maracanã



O futebol carioca tem o segundo e o quarto colocados do Brasileirão, Fluminense e Vasco. Tem nada menos do que Seedorf no Botafogo. E tem o Flamengo, a maior torcida do Brasil. Em contrapartida, as torcidas dos quatro times vêm aparecendo muito pouco nos estádios.

O fim de semana de clássicos deixou a situação mais evidente. Vasco x Fluminense, confronto do vice-líder contra o então terceiro colocado, levou 9.729 pagantes ao Engenhão. Foi o pior público entre todos os clássicos regionais do fim de semana.

Domingo, Botafogo x Flamengo levou 15.090 pagantes ao mesmo Engenhão, 19.471 presentes. Pior do que os dois clássicos paulistas. Palmeiras x Santos teve público de 21.171 e Corinthians x São Paulo 34.843.

Falta do Maracanã, ingressos caros, espetáculo ruim… as explicações do torcedor para não aparecer no estádio são variadas e todas têm sentido. Ainda assim, assusta o segundo e o terceiro colocados de um Brasileirão duríssimo levar menos de 10 mil pessoas a um estádio, seja ele onde for. Ou um jogo com a presença de Seedorf de um lado e a maior torcida do Brasil do outro levar menos de 20 mil.

Tem quem diga que o Engenhão “não pegou” e que o torcedor carioca gosta do Maracanã. Diante dos públicos do fim de semana, é quase dizer que o carioca gosta mais do Maracanã do que de futebol ou de seu clube.

Mas de tudo isso o mais revoltante é o silêncio irresponsável dos dirigentes dos quatro grandes do Rio de Janeiro. Ninguém veio a público nem sequer chamar a torcida para o jogo. Seria o mínimo. Mas se o problema é a segurança ou o transporte, como os dirigentes não pressionam o governo para resolver este problema? Vale lembrar que entre os quatro presidentes dos grandes, há uma vereadora (Patrícia Amorim), um deputado estadual (Roberto Dinamite) e um filiado a um partido político (Maurício Assunção). Ou seja, algum instrumento político em mãos há.

E mesmo que se feche a questão intramuros, se o problema é o valor do ingresso, por que não diminuir o valor? Afinal, o que vale mais? um estádio vazio com ingressos caros ou um estádio cheio com ingressos mais baratos?

A fama de torcida mais festeira e animada do Brasil parece estar fora de operação, como o Maracanã. Triste.



MaisRecentes

Seleção enfrenta seu primeiro tremor



Continue Lendo

Segue o líder



Continue Lendo

O intervalo que mudou tudo



Continue Lendo