Ganhar ou encantar: o que o brasileiro quer do Brasil em 2014?



Para quem acha que o importante é ganhar, não importa como, este post vai provocar urticárias. E a discussão aqui é a Seleção Brasileira.

O que vale mais? Vencer a qualquer custo, ou jogar um bom futebol, mesmo que a vitória não venha? E aí, chegamos à situação de Mano Menezes. Seu time não engrena, os resultados não vêm. Já são dois fracassos importantes: a Copa América e a Olimpíada. Em amistosos, padecemos contra rivais mais fortes, ganhamos dos bem mais fracos e só.

Aí, chegamos à questão central: o que incomoda as pessoas? A falta de resultados do time de Mano ou de um futebol que nos agrade?

A se julgar pelos nomes ventilados como soluções para o problema da Seleção, o que queremos é ganhar, não importa como. Felipão e Muricy, vencedores sem dúvida, não darão ao Brasil um futebol à la Barcelona, vamos dizer. Eles podem nos dar o título em 2014. Se apenas isso importar, a discussão está encerrada: tchau, Mano, venha Muricy e seu muricibol das bolas paradas, defesa sólida, ligação direta defesa/ataque, chutões pra frente, vitórias magras, gols de bola aérea. Ou venha Felipão, da família, da briga, do sofrimento, da pegada, do jogo mascado, das muitas faltas por jogo, que vence no limite.

O time de Mano faz muito mais do que isso? Ao menos o técnico tenta implantar uma filosofia de mais toque e valorização da posse de bola, domínio das ações, imposição do jogo. Se não consegue fazer (e muitas e muitas vezes não consegue mesmo) é outra história. E, vamos admitir, quando pressionado, Mano valoriza mesmo é a vitória, venha como ela venha.

A substituição de Mano Menezes do comando da Seleção não deveria ser simplesmente a troca do técnico para salvar a Copa de 2014. A discussão deveria estar ligada ao tipo de futebol que queremos ver em nossa Seleção. Muricy e Felipão podem nos tazer o título no Brasil. Mas quando o árbitro apitar o fim da decisão, com vitória brasieira, estaremos felizes ou apenas aliviados?

Esta é discussão. E aí, o que você acha?



MaisRecentes

A “injustiça” com Buffon



Continue Lendo

Chega de falar de arbitragem!



Continue Lendo

O juiz errou. E os outros?



Continue Lendo