Goleada do Timão sobre o Fla



Quando ruiu o Clube dos 13 no começo de 2011 e os clubes brasileiros passaram a negociar separadamente os direitos de transmissão de TV, algumas preocupações vieram à tona. Uma delas a de ocorrer um desequilíbrio de forças, já que as cotas se tornaram muito diferentes dependendo do clube. Flamengo e Corinthians abocanharam mais do que todos os rivais.

Na ocasião, a diretoria do Palmeiras e do Vasco, por exemplo, saíram comemorando o fato de terem aumentado seus rendimentos com a TV com relação ao contrato anterior. Só se esqueceram de olhar quanto seus principais rivais Corinthians e Flamengo, respectivamente, estavam levando nessa. A diferença aumentou.

Dinheiro pode significar a diminuição dos problemas e aumento dos investimentos. Num círculo virtuoso, mais grana fará uma entidade (clube, empresa) ou uma pessoa crescer. Mas pode significar absolutamente nada se mal empregado ou se chegar em uma estrutura viciada que funcione mais como um ralo de dividendos.

No caso do Corinthians, o resultado da excelente negociação (para ele, claro) está evidente. O Corinthians saiu de uma estrutura quase amadora para outra profissional e invejada. Se não foi o principal recurso, o dinheiro da TV ajudou. Os resultados estão aí: campeão brasileiro, campeão da Libertadores, contratando jogadores e segurando seus principais valores no elenco. Vale lembrar que Paulinho recusou proposta do futebol italiano para seguir no Timão.

O outro lado da moeda é o Flamengo. Assusta quando o esforçado Zinho, diretor de futebol, vem a público dizer que o clube “não tem dinheiro e não vai fazer loucuras” para contratar. Não esqueça: o Rubro-Negro é o clube brasileiro com a maior cota de TV. Ganha nada menos do que o dobro de alguns concorrentes. Porém, entrou numa barca furada com Ronaldinho Gaúcho, paga dívidas com ex-jogadores como Romário e Petkovic… além de outros descalabros administrativos.

Quando o Flamengo perde Ronaldo, Thiago Neves, Diego e Juan e chega ao fim da janela de transferências desesperado atrás de alguém que o queira, o ditado “dinheiro não traz felicidade” faz todo sentido. Em alguns casos.



MaisRecentes

Existem ‘mentiras’ convenientes, Carille



Continue Lendo

Na forma da convocação, Inglaterra deu show. O Brasil segue careta.



Continue Lendo

A “injustiça” com Buffon



Continue Lendo