Não ao chefe de delegação!



Para que serve um chefe de delegação da Seleção Brasileira? Com a palavra, Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, que ocupou o cargo na fracassada campanha brasileira na Copa de 2010.
Abaixo,a frase dele assim que foi anunciado por Ricardo Teixeira, em abril de 2010.

– Já fui chefe de delegação em um amistoso da Seleção e agora vou repetir a experiência em uma tarefa que tem aimportância de uma Copa do Mundo, o que é para deixar orgulhoso qualquer dirigente. Aproveitei o encontro com o presidente Ricardo Teixeira para agradecer pela manifestação de confiança.

Não deupara entender? Então leia o que Luis Álvaro Ribeiro, presidente do Santos, disse. Ele foi o chefe da delegação no amistoso da Seleção contra os Estados Unidos em agosto de 2010.

– Os moleques vão se comportar. Vão para a cama às 21h, logo após tomar o Nescau – disse ele, sobre Ganso e Neymar, os dois garotos santistas convocados para aquele jogo.

Ainda não está claro? Então veja o que disse Zezé Perrella, presidente do Cruzeiro, quando chefiou a delegação brasileira no amistoso contra a Argentina no Qatar em novembro de 2010:

– Eu honrei meu compromisso, ao contrário de outras pessoas que ocupam cargos importantes no futebol brasileiro sem nenhuma capacidade moral.

Não ficou claro quem eram as pessoas sem nenhuma capacidade moral. O que se sabe é que na ocasião o cartola estava irritado e pouco apareceu em público na viagem, constrangido por ter criticado a comissão de arbitragem da CBF antes do embarque, após pênalti polêmico marcado contra seu time em jogo do Brasileiro com o Corinthians.

Chefe da delegação da Seleção nos amistosos contra Irã e Ucrânia em abril de 2010, o presidente do Botafogo Mauricio Assumpção “ameaçou”, em tom de brincadeira, óbvio, cortar Jefferson da lista de Mano Menezes para não desfalcar  seu clube.

Como se vê, assuntos da maior relevância para o futebol brasileiro (isso é uma ironia) ficam a cargo de quem ocupa o imponente posto.

Se oficialmente ninguém sabe para que serve um chefe da delegação, informalmente está clara a sua função como agrado aos aliados da CBF.

Coincidência ou não, os quatro presidentes citados acima são próximos da confederação: romperam as negociações pelos direitos de TV via Clube dos 13 e em 2010 haviam votado no derrotado candidato de Ricardo Teixeira à presidência da entidade.

Dia 27 de março a Seleção enfrenta a Escócia. O nome da vez para chefiar a delegação é o de Arnaldo Tirone (que não é meu parente), presidente do Palmeiras. Nesta sexta-feira, o clube anunciou oficialmente que vai negociar diretamente com as TVs os direitos de transmissão. Coincidência?



  • Adilson Murizini

    As explicações sobre o cargo de Chefe de Delegação são claras e comprovadas dias seguintes, após os atos de aproximação das partes que um dia estiveram afastadas.
    As denúncias são muitas, mas não há um movimento dos tais MP´s.
    Os órgãos controladores, o Ministério Público e a polícia deveriam apreciar este movimento pelos direitos das transmissões do Campeonato Brasileiro.
    O dirigentes dos clubes, poderiam deixar correr livre e transparente a tal licitação, unidos em favor de seus clubes, longe dos interesses pessoais, de grupos ou quadrilhas.

  • Parabéns Tironi,este cargo de chefe de delegação tinha que ser do Tiririca(ele tá na moda).Estão indicando ele para comisão de educação e cultura do Governo Federal,que sabe o palhaço do Ricardo Teixeira não o covida para integrar o “circo CBF”,que não tem moral nem para dizer quem é campeão brasileiro de 87.E mais quando a justiça condena a tal entidade a pagar multa pelas cagadas que ela e o Edilson fizeram,ela simplesmente disse que não organiza o campeonato,porque então estão morrendo de medo da queridinha deles “globo” perder a mamata de transmitir o campeonato?Será que esse Ricardo Teixeira é igual ao Havelange,tem 77 vidas?Tô de saco cheio com este povo que manda e desmanda no futebol brasileiro.Um abraço e parabéns pelo blog.Mário-Anápolis – Goiás.

  • jeferson assad

    São verdadeiras Rainhas da Inglaterra.

  • Umberto – Santos SP

    Tironi
    Pela 1ª vez vejo torcedores de times envolvidos na maracutaia do Verme Teixeira, enxergarem o que de real está acontecendo, o Verme ganha um dinheiro da globo para manter rudo como está e cada vez mais o futebol está perdendo o interesse do torcedor, com os clubes unidos teriam poder para destituir esse sujeito, que é o centro dos males do futebol brasileiro, o Andreas eu até entendo, tem que obedecer o patrão senão ficará sem estádio, mas os outros ganham migalhas e se contentam, seus torcedores deveriam estar envergonhados, será que se o Luis Alvaro ficasse do lado do clube dos 13, o verme arrumaria algum jeito pegar de volta os titulos que deu ano passado de presente?
    Abraços

    PS: Mas tu é a cara do Arnaldo Tironi, parece filho dele.

  • Corélio

    Quero só saber de uma coisa…
    A imprensa esportiva todo dia noticia algum escândalo ou armação ou roubo ou qualquer outro ato reprovável e ninguém, NINGUÉM, faz nada…
    Na África o povo vai pra rua e destitue um ditador, e aqui?
    Aqui, cada um desses roubos, passa a virar exemplo bem sucedido de como se tirar vantagem em cima do próximo, e toda população sonha um dia ter a oportunidade de copiar essa corja que domina nosso país em todas as áreas: governamental, estatal, empresas privadas, no esporte. A corrupção está tão enraizada no brasileiro que já não é mais possível estirpá-la.
    Não existe mais honestidade no Brasil, é uma utopia.
    Aqui se rouba no troco da padaria, no cafézinho pro policial não multar, quando se estaciona em vaga de idosos/deficientes, quando aceita uma propina para facilitar um negócio. O Brasil só funciona a base de propina.
    O que mais ferra o Brasil é o brasileiro.

  • Boa tarde Tironi, e uma pena que dirigentes ainda ficam caindo? na conversa de sr.Ricardo Teixeira ele da com uma mão, e tira com a outra agradando esses dirigentes que na verdade vão passar pelos clubes mas quem vai continuar são as agremiações que ficam a mercê desse pessoal lamentável que isso aconteça.

  • sandro

    Cargo de ocasião para interesses próprios.

  • sandro

    Chefe de delegação são todos de ocasião. Cargo inventado para interesses políticos no futebol.

  • Mauricio

    está claro que é um cargo para “aliciar” dirigentes que futuramente estarão nas mãos da CBF, é como a máfia, te dou um agrado mas você fica me devendo, é isso que todos vemos nos noticiários nos ultimos dias, e nós torcedores somos alienados, como a própria CBF alegou, ganha milhões e nos bastidores fica rindo da nossa cara! está na hora de fazer a limpa no comando do futebol brasileiro, e olha que seremos os próximos a realizamos a copa do mundo… mas é claro, vai dar tudo certo, governo liberando rios de dinheiro no ultimo momento, superfaturamento… mas não dá nada não, vamos nos alienar nos estádios no próximo fim de semana!

  • Ocimar

    Tironi, é de dar vergonha tudo isso.Esses puxas sacos passam e os clubes ficam, e cada vez mais endividados.Tudo bem não sai do bolso deles mesmo né.Não são responsabilizados pelas suas atitudes devastadoras nos clubes.Os clubes cada vez mais capengas, destruídos e os mesmos saem como se tivessem feito a melhor administração do mundo.Estar aliado a Ricardo Teixeira, é o mesmo que dizer ser muito amigo do juiz Lalau, do Paulo Maluf,Fernandinho Beira mar, Marcola e tantos outros e rede Globo, que quer mandar em tudo no país, mais agora q se sente ameaçada, faz jogo sujo.Infelizmente este é o nosso país, que corre serio risco de passar vergonha para realizar a copa de 2014 e olimpiadas de 2016.

  • Fernando Tricolor Eôoooooo

    O que esse Trojé, que está mais para MANÉ, é uma inverdade !
    O galinheiro do Corinthians (se é que será construído), e se não explodir com eles dentro, por causa dos dutos da Petrobrás, não servirá NUNCA para ser palco de shows como Paul McCartiney, Beyonce, U2, Madonna, e outros monstros da música. Conseguirá no máximo um show do Calcinha Preta e olhe lá…se fizerem fiado !
    Itaquera não possui hotéis, e nunca serão constrúídos,,,imagina se alguma rede hoteleira vai querer investir milhões ou bilhões em ITAQUERA…me poupe ! É sem noção o que esse Zé Mané falou…
    Além do mais, o São Paulo possui sobrevive sem o Corinthians sim,,,pois desta forma, não precisa gastar com reparos (manutenção) que tinha que ser feito após cada jogo dos sem estádio, sem títulos e sem história.
    Temos Estádio pronto (não é projeto e nem sonho), temos 3 Libertadores e 3 Mundiais (não foi no Rio de Janeiro), temos passaporte e não precisamos de vocês pra nada,,aliás só pra lembrar CENTERNADA !!!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Saudações Tricolores !

  • Fernando Candido

    O Futebol INFELIZMENTE está sendo tratado como uma empresa. Eu vejo que seja uma empresa, claro, existem engociações, patrocínios e tudo mais, mas não dessa forma pífia que os dirigentes agem. Pode-se comparar ao estádio do Palmeira, quando é para se ver no topo nego aprova qualquer coisa que aparecer na sua frente, para depois tomar medidas contrárias. Tudo gente personalista.

  • Beto

    Meu Deus! Já se passaram meses e a maior parte da imprensa continua insistindo, sempre que o resvala no assunto, no “pênalti polêmico” sobre o Ronaldo. O Cruzeiro não reclamou do pênalti, em específico. Reclamou, isso sim, do jogo INTEIRO que teve uma arbitragem completamente abjeta! Faltas para o Cruzeiro até inventadas, mas só atrás do meio de campo, de preferência na saída de contra-ataques, mas sempre sem cartão, do meio de campo adiante nem pensar; faltas para o Corinthians inventadas perto da área; inversão de faltas; impedimentos absurdos; faltas não dadas cometidas pelo último homem corinthiano; inversão de faltas; etc. O mesmo roteiro exposto pelos sopradores da Máfia do Apito. Um pênalti errado (ou não, o pênalti, este sim foi controverso) não faria um jogador sair de campo, se recusando a jogar, como aconteceu com o Fabrício. No entanto, desde o começo a imprensa (não faço aqui nenhum juízo de caráter, que fique bem entendido) só se ocupou do tal pênalti, desviando o assunto do jogo que foi inteiro (repetindo, inteiro) mal apitado, levantando suspeitas acerca de suposta vileza da arbitragem.

    PS: quanto ao Perrella, o Cruzeiro não fez mais nenhuma venda ao exterior desde que o dito senhor ficou sob investigação da PF. Ademais, o Patrimônio Líquido do Cruzeiro vem sendo dilapidado, como pode ser observado nos balanços do clube nos últimos anos. Não é nada, não é nada…

    Pela atenção, muitíssimo obrigado.

  • Trojé

    O Sr Juvenal Juvêncio não achava que o time dele era o maior do Brasil ? Quero ver agora, que eles vão ter que andar com as próprias pernas ! Depois que o Palmeiras e o Corinthians pararam de jogar no Morumbi o negócio já ficou mais difícil para eles, agora com os dois clubes com seus estádios prontos vão dividir os poucos shows com o Morumbi…….e se realmente os clubes forem negociar sozinhos o contrato da televisão. Xiiii a casa caiu, todos sabem que a torcida deles é de moda, só vai na boa e com o dinheiro curto a chance de montar um time bom fica mais difícil. Agora quero ver se realmente o São Paulo é grande ou estava na moda porque escorava nos grandes, aposto na segunda hipótese.

  • ANDRE DIAS

    Por LUIS NASSIF
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-primeira-guerra-mundial-da-globo
    Coluna Econômica
    As Organizações Globo estão enfrentando sua Primeira Guerra Mundial, desde que tiraram da Tupi o cetro de emissora de maior audiência do país – nos longínquos anos 70.
    Nos próximos dias será decidida a questão da transmissão do campeonato de futebol brasileiro. Não se trata de um mero evento esportivo. Se perder a disputa, a Globo colocará em xeque toda sua programação do horário nobre – baseada no hábito diário de acompanhamento de novelas e de jornais televisivos.
    Pela primeira vez, poderá perder a liderança de audiência no país.
    ***
    A ameaça é da TV Record, que promete uma proposta de R$ 550 milhões para conseguir os direitos de transmissão junto ao Clube dos 13. Por trás da disputa, há mudanças relevantes na legislação de direito econômico brasileiro.
    ***
    Cada clube esportivo detém direitos de imagem sobre seus jogos.
    Para administrar seus interesses, anos atrás a Globo incentivou a formação do Clube dos 13, incumbido de negociar em bloco os direitos dos seus associados – maiores clubes nacionais.
    Nos Estados Unidos, por exemplo, grandes clubes recebem direitos de arena superiores aos pequenos clubes. Sob o argumento de que as condições brasileiras eram diferentes, a Globo conseguiu equalizar os direitos de transmissão – todos recebendo a mesma quantia, tática fundamental para transmissões pela televisão aberta, na qual não é possível o pay-per-view (pagar para assistir).
    Se um clube com maior audiência ia reclamar, era encaminhado ao Clube dos 13, que tratava de demovê-lo de suas pretensões.
    Mais ainda. Através de um contrato leonino, a Globo tinha uma cláusula de preferência, direito ao último lance em cada leilão de transmissão de campeonato. Ou seja, depois do último lance, ela tinha o direito de cobrir a proposta apresentada.
    ***
    Esse modelo foi questionado no CADE (Conselho Administrativo de Direito Econômico). A Globo e o Clube dos 13 foram obrigados a assinar um termo de compromisso estabelecendo condições transparentes de disputa. Isto é, cada concorrente chegando com um envelope com sua proposta.
    ***
    Primeiro, a Globo chamou os clubes e tentou convencê-los a baixar o preço, sob a alegação de que a audiência do futebol vem caindo há tempos e o mercado não aceitaria pagar grandes lances pelos direitos de transmissão.
    Não conseguiu disfarçar sua preocupação maior: no mundo todo, a emissora que tem o esporte mais popular lidera a audiência. Se perder o futebol, perde a liderança.
    O problema maior surgiu na seqüência.
    Em outros tempos, não haveria competidores. Apenas uma vez o SBT ousou competir, levando o Campeonato Paulista. Band e Rede TV nunca tiveram bala na agulha.
    Agora, apareceu a TV Record dispondo-se a elevar o lance a R$ 550 milhões para a TV aberta. No setor de TV fechada, começa a competição com as teles e, na área da Internet, com os portais.
    ***
    A reação da Globo foi tentar implodir o Clube dos 13. Através de Ronaldo e de comentaristas esportivos conseguiu cooptar o presidente do Corinthians.
    Seja qual for o resultado da pendenga, trata-se de um capítulo central nas transformações pelas quais passa a mídia brasileira.os dirigentes vao acabar com o futebol no brasil, estes imbecis que nao sabem de nada.

    os dirig

  • Fernando Luiz

    Fantástica essa matéria, mas eu aposto que o novo presidente do Palmeiras, é sim um parente bem próximo, de preferência um irmão, rs.

    A imprensa está cansada de criticar Ricardo Teixera, pela falta de democracia que existe na CBF e a forma como cuida e a administra. Os presidentes dos clubes até não o apoiam quando estão lá na televisão, frente a mídia, falando para milhões de espectadores, mas na hora, apoiam o lado mais forte e não fazem frente ao mesmo como o senhor Juvenal Juvencio, atual presidente do São Paulo.

    Para concluir e deixar claro, sou corinthiano e não sãopaulino como alguns podem pensar, escrevendo a favor do Juvenal.

MaisRecentes

Satisfeitos com pouco



Continue Lendo

Calma, Corinthians!



Continue Lendo

A imagem da semana



Continue Lendo