Responsabilidade de gente grande



Nunca na história deste país, parodiando o ex-presidente Lula, uma Seleção sub-20 esteve tão cercada de expectativas.

Talvez seja possível comparar apenas com o grupoque fracassou no pré-olímpico para a Olimpíada de Atenas 2004 sob o comando de Ricardo Gomes e que tinha em Diego e Robinho seus nomes de maior destaque.

Depois de anos trabalhando nas divisões de base com treinadores desconhecidos no futebol profissional, a CBF escolheu o bom Ney Franco para a empreitada, chancelado por Mano Menezes, técnico da principal.

A ideia é fazer um trabalho integrado entreas categorias. Ótima iniciativa!

A nova organização da base gerou uma responsabilidade enorme para a molecada quedisputa o torneio no Peru.

É só ver como foi até agora e como será a cobertura da imprensa durante o torneio para se perceber a expectativa criada e o tipo de cobrança  que virá por aí.

E o líder da turma será Neymar, a estrela máxima da companhia, pela primeira vez no papel de protagonista sozinho.

No Santos, na maioria das vezes, ele dividiu os holofotes com Ganso e Robinho. No segundo semestre de 2010 ficou sá e foi neste período que ele e o Peixe menos brilharam.

Futebol, não é necessário relembrar, Neymar tem.

O Sul-Americano do Peru é o momentode ele mostrar amadurecimento e capacidade deliderança.

No piordos mundo, Neymar e o grupo ficarão marcados por uma amarelada. Na melhor, começarão a trilhar um bonito caminho na Seleção.

Aposto nesta hipotese.  Boa sorte.



MaisRecentes

Existem ‘mentiras’ convenientes, Carille



Continue Lendo

Na forma da convocação, Inglaterra deu show. O Brasil segue careta.



Continue Lendo

A “injustiça” com Buffon



Continue Lendo