Craques apenas dentro de campo



Esta é a minha coluna publicada nesta quarta-feira (29/09) no Diário LANCE!. Dê o seu pitaco sobre ela.

De tão raro, quando alguém ligado ao futebol se coloca claramente contra as mazelas do esporte a coisa ganha eco. Foi o que aconteceu com Luís Felipe Scolari, que usou o microfone para reclamar (e com toda a razão) dos gramados a que os jogadores têm sido submetidos neste Brasileirão.

São reclamações que fazem muito bem, principalmente quando saem da boca de alguém de peso como o técnico palmeirense. Talvez nenhum treinador brasileiro atualmente tenha tanta respeitabilidade. Declarações assim abrem os olhos de todos para a questão e o assunto passa a ser discutido.

Felipão está longe de ser um militante contra os problemas do futebol. Embora sempre tenha sido bem direto em suas entrevistas, raramente levantou este tipo de assunto em público.

O treinador não é exceção, mas regra. No Brasil, muito poucas estrelas utilizam sua importância para levantar temas assim.Em nosso país, a rebeldia está muito mais ligada à quebra de hierarquia, malandragem e à  indisciplina rasteira do que a questões mais de fundo.

Não à toa, nossos rebeldes são Romário, Edmundo, Renato Gaúcho e agora até Neymar.

As declarações fortes desta turma nunca têm profundidade. As frases famosas de Romário normalmente são algum tipo de brincadeira que faz sucesso porque viram notícia na mídia, para delírio da turma, que repete: “o futebol está muito chato, precisamos de mais gente assim.”

Por outro lado, você já viu alguma vez algum destes astros na liderança de alguma reinvindicação mais séria para a classe?

Ronaldo, o maior artilheiro das copas do mundo e atualmente o maior astro em atividade no futebol brasileiro nunca se meteu a falar sobre os problemas do nosso futebol.

Quer dizer, uma vez reclamou quando um repórter desastrado acertou um microfone na sua cara. Aí, ele comparou e disse que na Europa as coisas são mais organizadas.

Reclamar só quando é atingido é muito pouco para um ídolo do quilate de Ronaldo Fenômeno. Imagine a contribuição que ele poderia dar ao esporte se fosse mais engajado.

Os nossos jogadores estão atuando em campos que são verdadeiro moedores de joelhos e tornozelos, mas custou para alguém reclamar em voz alta disso.

E a letargia não é privilégio só de quem joga. No Flamengo, torcedores preferem ameaçar jogadores e comissão técnica na porta do vestiário em vez de estar ao lado deles e reclamar contra quem fecha o Maracanã e permite essa tortura.

O Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol nem sequer veio a público para reclamar dos nossos gramados até agora.

Como bem disse Felipão, estamos felizes por sediar a Copa de 2014, mas até lá viveremos este caos? Pena que a reclamação dele é uma exceção. Nossos astros deveriam ser mais craques também fora de campo.

Twitter: @etironi



  • Antonio Lima – DF

    O Ronaldo é o maior astro em atividade no futebol brasileiro, atualmente? Vc deve ser curitiano. Em atividade??? kkkkkkkkk kkkkkkkkkkk kkkkkkkk Patético!!!

  • Fernando

    A culpa é da Copa 2014 ou do Botafogo? O gramado do Maracana recebia mais jogos e tinha menos falhas!
    Concordo que falta engajamento, mas tudo é motivo de punição pelo STJD. Ê dificil se posicionar e deixar seu time 4 jogos sem voce.

  • EDSON

    concordo tironi. mas aproveitando a deixa..acho que jornalistas e comentaristas
    tambem tem que ter seu papel, compromisso com a verdade, denunciar,mostrar
    exemplos bons. nao ficar nessa midia sensacionalista. esperando um jogador errar pra crucificar..deixar a verdade imperar sendo imparcial..cronica esportiva
    cheia de mimimi fala de futebol ao invez de ficar perseguindo jogador esperando algum erro ..falar dos outros é muito facil…

  • NELSON

    a algum tempo atraz em outro blog eu já vinha alertando para oque está acontecendo agora…….. é inadimissivel que se pague ( e caro diga- se de passagem ) pra ver times de primeira divisão do futebol brasileiro jogarem e sem a menor opção de condições de jogo o profissional tenha que ficar dando bicão na bola pra não fazer nenhuma besteira que vá prejudicar seu time….. enquanto os torcedores que tem direito a votar na formação da diretoria do seu clube continuar a se omitir deste direito o futuro do nosso futebol vai continuar assim…. quero ver o pós copa onde vamos ver que foi gasto dinheiro publico para obras que não terão manutenção e vão se desgastar se tornando verdadeiras arapucas pra quem estiver no local… um país onde a saúde pública está na UTI um país que não tem a menor condição de sediar nem o campeonato BRASILEIRO vai sediar A PRÓXIMA COPA DO MUNDO COM EXIGENCIAS ABSURDAS DA TAL ENTIDADE DENOMINADA FIFA….. UM PAIS AONDE A MISÉRIA AINDA É MAQUIADA…. ME DESCULPEM MAS ANTES DE QUALQUER COISA ESTE TAL DIRIGENTE RICARDO TEIXEIRA PRECISA DEIXAR O COMANDO DA CBF O ATUAL PRESIDENTE TOMAR CONTA DIREITO DA POPULAÇÃO AÍ SIM PODEMOS PENSAR EM SEDIAR ALGO…… VOU DIZER OQUE MUITOS BRASILEIROS TEM VONTADE DE DIZER MAS TEM MEDO….. TENHO VERGONHA DESTE GOVERNO BRASILEIRO E DOS QUE CONDUZEM O NOSSO FUTEBOL POIS SÓ PENSAM EM LUCRAR COM A MISÉRIA BRASILEIRA…..

  • Fabiano

    Tirone, eu sei que tu é corintiano, mas todos os corintianos, os inteligentes é lógico, tem que admitirem que é muita ajuda a favor do ” Império do mal ” … com essa ajuda de hj, em 25 jogos o juíz ajudou o Corínthians em 14 … é muita coisa, o Joel tem razão … é melhor entregar o título logo … já não basta 2005 onde foi uma das maiores vergonhas do futebol interplanetário … alguém tem que fazer alguma coisa, não podemos ser hipócritas e achar que são apenas erros de arbitragem !!!

  • sylvio beato

    Meu caro jornalista, acompanho futebol desde a década de 40.Hoje quero parabenizá-lo pelo seu artigo.
    Assunto muito bem colocado, mas ficam aqui algumas perguntas:
    1) Será que a franqueza demonstrada pelo Sr. Luiz Scolari valeria para todos os estádios ou foi só para o Engenhão?
    2) Ele citou claramente o prejuizo para os times do Rio.Será que os estádios paulistas (onde ele trabalha) são melhores que os do Rio?
    3) O Estado onde ele trabalha sediará algum jogo da Copa do Mundo?
    4) Fora o gramado, ele criticou, de uma maneira geral, todo o Estádio do Botafogo.Será mesmo verdade que num estádio, reconhecido como ultra moderno,por diversas entidades ligadas ao esporte, não tem mesmo cabides para o Senhor Luiz Scolari pendurar sua vestimenta?
    5) Já que ele se mostrou tão preocupado, vindo á público manifestar suas opiniões,não será a hora dele ,também se preocupar sobre a ética entre os treinadores aqui no Brasil?
    Sinto muito, senhor jornalista, mas ele foi infeliz na hora e no lugar em fazer suas críticas.
    Ele não prestou nehum serviço ao nosso futebol, e poderia muito bem voltar a ganhar seus euros de onde veio, e não querer mascarar os problemas por ássa o clube onde trabalha.

  • Alexandre

    Os nossos ídolos, são apenas reflexo da nossa sociedade, alienada e individualista. Vejam o Ronaldo por exemplo, idolatrado no Corinthians mesmo sem jogar a meses, incapaz de usar sua voz na mídia para levantar qualquer tipo de discussão relevante para o futebol. Só se escuta dele os comentários bobos no twitter, cuja conta é, evidentemente, muito bem patrocinada por uma operadora de telefonia celular.

  • Bruno

    Porque o Felipao ao inves de ganhar 700.000,00 por mes, comeca a ganhar 300, os 400 que sobrarem iriam servir para arrumar os gramados dos Ct’s do Palmeiras juniores, sub-20, etc…

    É facil reclamar do estado dos gramados, mas os clubes quebram, pagando alto salários para treinadores se poderiam estar formando bons times de futebol, estruturando o CT.

    Como eu sou Sao Paulino, nao concordo em ter treinador caro, e sim comissões por objetivos alcancados, metas, diretoria assinar falando que vai dar boa condicao para trabalho, jogadores.

  • fernando bastos

    O que mais lamento é a imprensa não ter feito uma campanha cerrada contra o fechamento do Maracanã agora, pois outos estádios só fecharão no final do ano. Enquanto Globo e CBF mandarem, do jeito que mandam, no futebol brasileiro, nós ficaremos a mercê do que é decidido entre quatro parades e dane-se o torcedor, que é obrigado a procurar alternativas sempre piores para curtir o seu esporte favorito. Nunca é demais lembrar que o torcedor é um cliente e que, por isso, deve ser tratado preferencialmente, o que não ocorre agora, quando é obrigado a assistir jogos em gramados que não tem a menor condição de jogo, o que deveria ser proibido. O Felipão tem razão, só que a repercussão da entrevista não foi das maiores na imprensa, o que eu achei um absurdo. Belo post!

  • marcelo valença

    Tironi voce foi perfeito em sua análise…e digo mais…porque a imprensa tambem toca tao pouco nesse assunto?…porque nas rodas de bar dos torcedores se fala tao pouco nesse assunto?

    Será que nós torcedores nao deveriamos cobrar nosso “idólos” para falar sobre assuntos como fila nos estadios…cambistas…cartolagem…

    Criamos no nosso imaginário estrelas…astros mas se for ver realmente nao fazem nada pela gente…veja a força que tem um Pelé…um Ronaldo…um Zico e nenhum deles bota a boca no trombone pra exigir melhorias no futebol brasileiro!

    Tomara que o Felipão continue usando sua experiencia internacional para ajudar o desenvolvimento do futebol brasileiro…o que na verdade até onde eu sei…é papel da senhora Fifa e CBF….

    vergonha….!

  • claudio

    Parabens!!!
    Uns dos raros jornalistas a comentar de forma clara sobre o “fenomeno” ronaldo!! Que só esta no Brasil para ganhar dinheiro dos pobres toredores que financiam sua estadia por aqui…

    Perguntado pela sabatina da folha, o porque não cria seu filho Ronald aqui… disse que não quer seu filho crescendo com mal educados aqui no Brasil!!

    Esse nosso ídolo!! Um jogador que fica pra histório, um brasileiro ingrato!!

    claudiorodrigof@gmail.com

  • César Gazzinelli

    Tironi, você está de parabéns. Realmente o futebol brasileiro prefere reclamar daqueles que reclamam ou pior, inventar uma segunda “verdade” para o que está estampado bem na nossa frente. O que o Felipão falou é a mais pura verdade, só que o orgulho dos nossos dirigentes não os permite aceitar que um técnico que vivenciou uma realidade muito mais avançada, pode sim palpitar sobre melhoras. Pelo contrário, os nossos dirigentes preferem mandar jogos em estádios como o Barradão (na final da Copa do Brasil), o Engenhão (com 3 times usando e abusando do gramado), os Aflitos ou a Ilha do Retiro (não é à toa que Náutico e Sport estão na segundona, e muito mal). Mas isso não acontece apenas no esporte: no Brasil, uma pessoa que tem uma experiência no exterior e divide essa experiência com o intuito de melhorar, acaba passando por esnobe ou simplesmente “fora da realidade brasileira”. Essa mania de que somos os melhores só porque temos 5 títulos mundiais já foi por água abaixo, e enquanto os nossos dirigentes continuarem pensando pequeno, vamos continuar sendo pequenos. Um abraço.

  • Rodrigo

    Acredito que essa falta de engajamento ocorra mais pela preocupação dos atletas com a sua vida particular (leia-se contratos lucrativos, Europa, etc), do que o bem da coletividade… Infelizmente é mais um problema cultural, do que das pessoas que os rodeiam ou medo de represálias

  • Felipe

    POR ISSO e MUITO MAIS EU SOU PALMEIRAS!!!!!!!!!!!!!!!!!
    AVANTI PALESTRA
    DA lhe porco
    Vamo Palmeiras meu verdao querido

  • Diego De Paula

    É amigo…
    Acho que os jogadores não reclamam com o receio de sofrerem represálias.
    Quem conhece ou acompanha o futebol brasileiro (leia-se dirigentes e empresários) sabe que este é bastante vingativo com o quem critica.
    Como sempre foi e ainda é, quem comanda o futebol brasileiro é o DINHEIRO e não o paixão pelo esporte, salvo algumas, ainda que rarissímas, exceções.

MaisRecentes

Eles querem ter a posse de bola



Continue Lendo

Boas entrevistas à vista



Continue Lendo

O treino diferente do São Paulo



Continue Lendo