Desobramentos do caso Neymar x Dorival



Menos de 12 horas depois de eu ter postado elogios à atuação de Dorival Júnior no caso Neymar (leia aqui), o treinador mudou sua posição. Exigiu 15 dias de suspensão para o jogador, caso contrário ele (o técnico) sai do Santos.

A análise agora, é outra, portanto. Segue abaixo:

Se  Dorival vinha mantendo as rédeas da situação nos primeiros dias da crise, agora, a situação está polarizada.

Até então, o treinador aparecia como um líder habilidoso, que conseguiu ter a maior parte da torcida do seu lado no caso. Depois das desculpas públicas de Neymar, tudo caminhava para a tranquilidade.

Quando o treinador exige punição de 15 dias, a temperatura volta a subir.

Até o momento, a diretoria santista acatou em parte a exigência de Dorival: tirou Neymar do jogo contra o Guarani, obrigou-o a treinar no fim de semana e reavaliará o caso segunda-feira.

Com isso, ganha tempo para resolver o que fazer. Pretente avaliar a reação das partes com o novo cenário, que já não é menos simples, porque jogador e treinador agora estão definitivamente de lados opostos.

No começo da crise, Dorival aparecia como um “pai”  decepcionado. Agora, aparece como o treinador  que  exige punição.

Confiante no respaldo que sentiu da torcida e dos jogadores, Dorival apostou alto ao exigir o afastamento. Agora deve estar preparado para conviver sempre com a sombra do atrito com o principal astro do time.

Fazendo um raciocínio simples: 15 dias correspondem a cinco jogos sem o jogador. Como será a reação externa (da torcida) e interna (diretoria, conselheiros…) se as vitórias não aparecerem? Neymar será uma sombra que incomodará. E muito.

Qual a sua opinião? Dê seu pitaco.

Estou no twitter: @etironi



MaisRecentes

Seleção enfrenta seu primeiro tremor



Continue Lendo

Segue o líder



Continue Lendo

O intervalo que mudou tudo



Continue Lendo