Feliz 2014!



Quando o juiz apitou o fim do primeiro tempo de Brasil x Holanda, a impressão que se tinha é que a classificação estava muito bem encomendada.

O time mandou no jogo, fez 1 a 0 rapidamente e perdeu inúmeras chances de ampliar. Repito a frase: “perdeu inúmeras chances de ampliar”.  A Holanda foi engolida. Tivesse feito pelo menos mais um gol (e chances não faltaram), a semifinal estaria garantida. Era um primeiro tempo perfeito para o jeito que esta Seleção joga.

O segundo tempo foi outro a partir do momento em que o Brasil sofreu o gol. Aí, todas as deficiências do time de Dunga se escancararam: a falta de alguém no banco que pudesse dar nova dinâmica ao jogo, os excessos de Felipe Melo (que acabou justamente expulso), a falta de equilíbrio emocional diante de um placar adverso.

A desorganização total apareceu em campo, com zagueiros indo ao ataque, volantes lançando… tudo errado.

A Copa do Mundo começou para o Brasil. Não está errada esta frase. Falo da Copa de 2014, que temos que organizar sob todo o rigor exigido pela Fifa.

Porém, mais do que estádios de primeira linha, organização e uma recepção perfeita aos turistas de todo o planeta, precisamos mostrar também o futebol brasileiro. O genuíno futebol brasileiro.

Temos quatro anos para revelar ao mundo que podemos praticar um futebol não só eficiente, mas bonito, atraente… enfim, um futebol brasileiro.

2010 é passado. Para 2014 queremos mais do que um time guerreiro. Queremos um time que encante. Afinal, em 2014 seremos os donos da festa. E ela terá de ser nossa na final.



MaisRecentes

Seleção enfrenta seu primeiro tremor



Continue Lendo

Segue o líder



Continue Lendo

O intervalo que mudou tudo



Continue Lendo