São Paulo copeiro



Antes de tudo, a expulsão de Kleber: questão de interpretação do árbitro. Eu daria amarelo, mas o vermelho não foi nenhum absurdo.

Agora, a análise:  claro que a expulsão deu outra cara para um confronto que tinha tudo para ser bem difícil para o São Paulo apesar da vitória no jogo de ida por 2 a 0.

Com um atacante a menos o time de Adilson não conseguiu mais fazer a marcação na saída de bola e o São Paulo dominou o jogo. Richarlyson saiu da posição de terceiro zagueiro, passou a compor o meio-de-campo, que tocou bola o quanto pode, criou chances sem grandes problemas.

A zaga mais uma vez foi muito segura. Miranda fez ótima partida.

Após o primeiro gol, de Hernanes, o jogo praticamente acabou. O destaque ficou por conta mais uma vez de Fernandão. Impressiona como ele se encaixou no time. Em quase todas as bolas que recebe coloca algum companheiro em boa situação.

O São Paulo vai traçando um caminho interessante nesta Libertadores. Jogando como time copeiro, mais com segurança e eficiência do que com brilho. No total dos jogos até aqui, o time teve mais partidas em que jogou mal do que em que jogou bem. O detalhe é que foi bem nas horas decisivas.  Assim vai se formando um time que pode ser campeão. Time que dá o bote na hora certa.

E você, torcedor, o que achou da partida do São Paulo contra o Cruzeiro? Dê o seu pitaco.



MaisRecentes

A “injustiça” com Buffon



Continue Lendo

Chega de falar de arbitragem!



Continue Lendo

O juiz errou. E os outros?



Continue Lendo