Flamengo: lições para quarta-feira



Esta é a coluna que será publicada na edição de amanhã (10/05) do Diário LANCE!.

A cabeça estava na Libertadores e muitos titulares não estavam em campo, mas o jogo contra o São Paulo serviu como observação e até como preparação para o Flamengo, que começa a briga por uma vaga na semifinal do torneio continental quarta-feira no Maracanã.

Primeiro: na Libertadores, mergulho no chão não é falta. E o árbitro Leandro Pedro Vuaden deu uma aula disso no apito, ontem. Quarta-feira a linha de arbitragem deverá ser a mesma. Juan pode ter aprendido que juiz não-brasileiro apita menos faltas cavadas.

Segundo: a zaga rubro-negra ainda preocupa. O São Paulo conseguiu penetrar na área diversas vezes e fez seu gol a partir de uma enfiada em profundidade que resultou em cruzamento para Washington.

Maldonado não estava em campo ontem protegendo a zaga. O meio, mesmo com Toró, Fernando e Rômulo na contenção, perdeu a disputa no primeiro tempo para um adversário que tem na pegada no meio um grande ponto fraco.

Terceiro: as atuações de Kleberson, Michael e Pet. Só há vaga para um deles no
time, quarta-feira. Pelo jogo contra o São Paulo, Kleberson, por sua precisão nos passes e por chegar bem na frente, merece entrar. Ontem faltou acertar os arremates a gol, algo que melhorará à medida que ele retomar o ritmo de jogo.

Michael entrou no segundo tempo e deu o passe sensacional para o gol de empate. Pet foi mais perigoso nas bolas paradas, mas ainda está longe do jogador de 2009.

Quarto: a cabeça está na Libertadores, mas o Flamengo perdeu seus dois primeiros pontos no Brasileiro. Tem Copa do Mundo, janela de transferências no meio do ano e um longo campeonato pela frente. Mas dois pontos perdidos em casa não voltam jamais.



MaisRecentes

Existem ‘mentiras’ convenientes, Carille



Continue Lendo

Na forma da convocação, Inglaterra deu show. O Brasil segue careta.



Continue Lendo

A “injustiça” com Buffon



Continue Lendo