Acabou a inocência deste Santos



Que episódio triste o dos jogadores do Santos que se recusaram a visitar crianças com paralisia cerebral em uma instituição de caridade. O motivo oficialmente alegado é lamentável: a instituição é espírita e os jogadores têm outras orientações religiosas.

Mas o motivo que circula nos bastidores é asqueroso: falta de pagamento de direitos de imagem e represália por uma punição recebida pelo apoiador Madson, que teria chegado atrasado em um treino.

Neymar e Ganso pediram desculpas pelo ato e prometeram voltar ao local. Que não seja uma obrigação e sim um desejo legítimo de fazer uma boa ação.

Robinho declarou que “cada jogador tomou a atitude que achou conveniente… Isso não tem que virar polêmica”. Não há polêmica, Robinho: o que há é que um grupo de jogadores de futebol famosos e muito bem pagos se recusou a fazer uma boa ação para crianças pobres e com paralisia cerebral, seja pelo motivo que for.

Crianças pobres como eram esses jogadores na infância, mas que não tiveram a sorte de saber jogar futebol muito bem. A visita de um jogador a elas vale mais, muito mais, do que o salário de qualquer um dos craques santistas.

Há semanas escrevi aqui que este ano sou Santos pelo futebol maravilhoso que este grupo tem mostrado (clique aqui e leia). Sigo torcendo pelo futebol bem jogado. Mas não vou achar mais tanta graça nas comemorações engraçadinhas após cada gol. Para mim, acabou a inocência.



MaisRecentes

Seleção enfrenta seu primeiro tremor



Continue Lendo

Segue o líder



Continue Lendo

O intervalo que mudou tudo



Continue Lendo