Mais uma na conta de Caio



Vinte minutos do segundo tempo, 1 a 1: sai o apagado Eduardo, entra Caio. Vinte e um minutos do segundo tempo: o primeiro chute que ele dá entra no gol do Americano. Mais uma vez o talismã de Joel Santana garantiu a vitória para o Botafogo. E em um jogo que estava complicado. Até Caio entrar. Porque mesmo depois que ter sofrido o segundo gol o Americano seguiu com chance de empatar. Só que em campo estava o talismã, que recebeu outra bola, limpou o goleiro, fez o terceiro e liquidou o time de Campos. Final, Botafogo 3 a 1.

Injusto falar que só Caio foi o responsável pela vitória. Herrera, com uma raça impressionante, fez ótima partida e deu passe para dois gols. E Loco Abreu, se não tem nenhuma técnica, foi muito perigoso pelo alto. E mesmo por baixo, com todas as suas limitações, não deixou os zagueiros adversários respirarem.

Diferentemente da semifinal e final da Taça Guanabara, o Botafogo se viu obrigado a não só esperar pelo contra-ataque à procura de Loco Abreu pelo alto, mas também a sair para o jogo. E poderia até ter se dado bem, não fosse o péssimo estado do gramado do estádio Godofredo Cruz.

No primeiro tempo Lucio Flavio teve liberdade e criou boas jogadas pelo chão ao lado de Herrera. Mas a jogada aérea está no DNA neste time do Botafogo e assim o primeiro gol saiu: Herrera cruzou da direita, Loco Abreu ajeitou de cabeça e Marcelo Cordeiro fez, justamente em um momento em que o Americano equilibrava a partida.

Porém, no minuto seguinte Leandro Gomes recebeu dentro da área e empatou.

 O segundo tempo foi bem mais movimentado. Com dois minutos, o Americano já tinha acertado a trave de Renan duas vezes. Se não fosse a entrada de Caio para mudar o rumo da história, o Americano poderia ter complicado.

Mesmo sofrendo pressão em alguns momentos, o Botafogo mostra que vai em busca da Taça Rio. E dá para sonhar enquanto a estrela de Caio brilhar e Herrera e Abreu seguiram com tamanha raça.



MaisRecentes

O clássico esvaziado e o golpe da CBF



Continue Lendo

Mimimi ou verdadeiro?



Continue Lendo

Acharam um novo culpado: a religião



Continue Lendo