Fluminense impressionante



Ao mesmo tempo que impressionam, algumas coisas explicam a situação do Fluminense no Campeonato Brasileiro. No tenebroso empate em 0 a 0 contra o Barueri, impressionou como o time ficou espalhado em campo. Não havia uma troca de passes entre os jogadores e a distância do meio-de-campo para os três atacantes era tão enorme quanto a colocação do Flu e a ponta da tabela.

Precisando da vitória, Renato escalou três atacantes. Poderia ter escalado quatro, cinco, onze ou nenhum. Afinal, a bola nunca chegava até o ataque tricolor. Tanto que o primeiro chute a gol do time aconteceu aos 20 minutos do primeiro tempo, com Michael, o menos pior dos três escalados pelo treinador.

Também impresionou a facilidade com que o adversário penetrava na zaga do Flu. Edcarlos (que era tido como “culpado” por todas as mazelas) não estava em campo. E a zaga seguiu vulnerável. Parece incrível, mas ver Fluminense e Barueri em campo foi ver o duelo entre um time de futebol de pouco brilho (o Barueri) contra onze sujeitos vestidos com camisa parecida (o Tricolor). Nada mais do que isso.

Aos 27 do segundo tempo, o Flu ficou com um homem a mais, com a expulsão correta de Diego. E impressionou como nem assim conseguiu assustar o Barueri embora tenha até equilibrado as ações.

E quando a fase é terrível assim nada ajuda. Na única chance clara para o Flu, a bola caprichosamente bateu na trave após espalmada do goleiro Renan. No rebote, nenhum pé tricolor para empurrar a bola para dentro. Impressionante.

Se algo positivo também impressionou foi como a torcida, embora muito pequena ontem no Maracanã, não deixou de fazer sua parte. Mesmo com um espetáculo tão triste em campo.

O Fluminense termina a rodada na lanterna do Campeonato Brasileiro, com exatamente metade dos pontos do rival de ontem, o Barueri. Números que impresionam, mas assistindo ao jogo de ontem, dá para entender o porquê.



MaisRecentes

Esqueça o fair play



Continue Lendo

Corinthians já tem o diagnóstico, mas ainda não encontrou a cura



Continue Lendo

Brasileiro agora será disputa psicológica



Continue Lendo