Seleção aprendendo a atacar



Com cinco toques na bola os Estados Unidos fizeram o segundo gol em cima do Brasil ainda no primeiro tempo. Velocidade infernal no contra-ataque e gol. Isso lembra alguma Seleção que você conhece? Lembra a Seleção Brasileira de Dunga. Foi jogando bem fechado e explorando a velocidade de Kaká, Robinho e companhia que o Brasil ganhou confiança e foi passando pelos seus adversários.

Com 2 a 0 para os Estados Unidos veio o receio de que a Seleção não conseguiria virar o placar diante de uma defesa bem fechada. Porque esta é a principal falha deste time. Ou era. Porque ontem a turma de Dunga tocou a bola, buscou opções, jogou pelas laterais… até furar o bloqueio norte-americano, vencer o jogo e levantar a taça. Pelo menos neste dolmingo, deu uma demonstração de que está aprendendo a atacar e não só contra-atacar.

Na Copa do Mundo, que é o que realmente interesa, a Seleção Brasileira enfrentará mais times que jogam fechados como os Estados Unidos do que times que ousaram sair para o jogo diante do Brasil, como nas Eliminatórias (Chile e Uruguai ousaram e foram atropelados, para ficar em apenas dois exemplos). Só o jogo contra os Estados Unidos é muito pouco para dizer que o time já sabe furar bloqueios. Mas pelo menos ontem soube o que fazer. Sinal de alguma evolução.



MaisRecentes

Uma espécie em extinção



Continue Lendo

Decifrando o Corinthians?



Continue Lendo

Sofrência chega ao futebol



Continue Lendo