O xeque-mate de Renato Augusto contra o Peixe



Por Fellipe Lucena

Mano Menezes e Enderson Moreira jogaram xadrez na Arena Corinthians, no último domingo. E o xeque-mate do técnico corintiano veio logo aos sete minutos do primeiro tempo.

A peça decisiva estava do lado direito do ataque: Renato Augusto. Bem avançado, ele não só desarmou Bruno Uvini como tirou o zagueiro para dançar antes de cruzar para Guerrero marcar. A boa atuação do meia, bem auxiliado pela velocidade de Malcom (que caiu no segundo tempo e deu lugar a Luciano), permitiu que Fagner se preocupasse quase exclusivamente em anular Rildo.

Do outro lado do “tabuleiro”, era Petros (menos e sem o mesmo auxílio) quem avançava para deixar Fábio Santos apenas marcando.
O gol de Guerrero – uma rotina nos clássicos, nos jogos em casa e em qualquer cenário – não foi capaz de encerrar o confronto imediatamente como a jogada fatal do xadrez, mas o que aconteceu depois já estava calculado pelo Timão, que não sofreu.

Entregar a bola ao adversário é uma estratégia conhecida deste traiçoeiro Corinthians. Uma equipe que sabe jogar e não a devolve com rapidez, como o rival de ontem, tem muito mais chance de tomar o bote – há exceções, como o Atlético-MG, frenético demais para estratégia tão fria.

O Santos ficou com a posse de bola em 60% do primeiro tempo, mas foi para o intervalo perdendo e praticamente sem assustar Cássio – eram oito finalizações dos mandantes contra quatro do rival. Um falso domínio da equipe de Enderson.

Na etapa final, o Peixe soube ainda menos o que fazer com a bola com Leandro Damião no lugar do meia Serginho. E O Corinthians acumulou chances, soltou os laterais e até poderia ter feito mais, mesmo com Danilo no lugar de Renato Augusto.

O criativo Lucas Lima foi ofuscado por Ralf, titular depois de 11 jogos, que tinha um Elias mais preso para ajudar. Gabriel – e depois Damião – foram engolidos por Gil. E Felipe causou menos calafrios dessa vez.



  • Poderíamos ter ganho com um placar dilatado,nao fosse o Aranha num dia inspirado,era prá ser 3×0,perdemos gols demais e num lance bobo quase tomamos o empate,com o Gabriel tocando prá fora,seria muita injustica para um Time que bombardeou e só fez 1×0,mas,valeu pela vitória….

  • Ivo agrepino dos Santos

    O Corinthians,precisa já começar a pensar 2015,e contratar urgentemente, dois bons laterais para o time. O recuo sistemático do time se deve à fragilidade do Fágner e do Fábio,que por serem duas avenidas abertas ao adversário,complicam todo o sistema de criação do time no meio campo,fazendo que se anulem Elias,Petros e Renato Augusto,que têm que se superarem para dar conta do recado,deixando muito isolado e só o Guerreiro!
    O Corinthians consegue anular o meia de ligação.Não tem aquela chegada agressiva,pois chega até lhe faltarem pernas pra isso.É muita correria ser ter necessidade.
    __Tudo isso,por causa de dois bons laterais!!! Difíceis de se achar no mercado?
    Penso que custarão bem menos que a renovação de contrato de Guerreiro,outra pichotada da direção do Corinthians,sem solução até agora…
    Vai,Corinthians!!!!!!!

    • Carlos Henrique

      Vejo direto seus comentários e discordo sempre. Me diz 2 laterais tão melhores assim que o Fábio Santos e o Fágner. Memória curta, na final do Mundial o Fábio Santos foi um dos melhores em campo, tabelando na intermediária com o Danilo pra sair com a bola e não entregá-la ao Chelsea, o que seria suicídio. O Fágner melhorou muito desde que voltou, no começo eu concordo que ele era uma avenida mas ele se esforça pra melhorar na marcação e isso tem dado resultado.
      Agora se o time tivesse condições de contratar o Lichtsteiner (sabe quem é?) e o Alaba (sabe também quem é?) eu também preferia os dois em relação ao Fábio Santos e o Fágner.
      Por ser uma opinião geral a sua, vindo de torcedores (não sei se foi seu caso) que execraram o Roberto Carlos, expulsaram o Tevez do Corinthians e idolatram Neto da vida, não me admira.

      Abraço

  • Cassio Moura

    O mais legal de tudo é não ter nenhum comentário de santista enchendo a página de besteiras hoje….kkkkkkk

    Mas por outro lado fico preocupado, por que os velhinhos podem não ter resistido, ou estar em coma no momento, se for o caso melhoras as viúvas do Pelé e do Neymar.

  • flavio

    Não sei quem é que considera jogo contra o santinho como clássico! Santinho é timeco sem torcida, sem estádio e sem expressão! Clássico para eles era quando jogavam contra portuguesa santista; jabaquara; juventus, jogos onde o ídolo deles diz ter feito mil gols. Também naquela várzea até eu jogava!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Gostaria de saber onde estar o presidente Ramelão do Corinthians,que não renova logo
    o contrato do Guerreiro.Se fosse um jogador, cujo o custo benefício fosse uma incógnita,ele
    já teria providenciado à renovação,saísse dinheiro de onde saísse.Como é um jogador que nos representa com raça e gana de vencer,esse zé ruela ficai vacilando.

  • 1º CAMPEÃO MUNDIAL DA FIFA

    Eu gosto mesmo de ganhar clássicos. Desses timinhos inexpressivos, não tem graça nenhuma

  • WAGNER

    A MATÉRIA DE CAPA DO SEU CLUBE É QUE O ANO PASSADO O PALMEIRAS “FALIU”… VOLTE QUANDO LER. OU NEM VOLTE…

  • WAGNER

    JÁ ARRUMARAM DINHEIRO PARA PAGAR O PATO OU VAMOS TER QUE DAR ELE EM TROCA DO TÉVEZ MESMO?

  • Carlos Henrique

    Eu não assisti o jogo, mas por ter visto alguns jogos dos Santos ultimamente e quase todos do Corinthians dá pra perceber o porque das características do jogo que os autores apresentaram aqui e aos comentários que ouvi na rádio nos programas especializados em futebol.
    Começando pelo Santos, é um time que tem em sua essência o jogo ofensivo, o que é muito bom quando bem organizado e bem resguardado. Isso funcionou todas as vezes que o Santos tinha foras de série no seu setor ofensivo. Fora o Gabriel, que ainda precisa fazer mais pra ser considerado assim, apesar de ser bom jogador. Lucas Lima e Arouca completam a lista de bons jogadores, o que é pouco mas mais que temos hoje no Corinthians. A diferença é a organização. Sobre o Enderson Moreira não tenho muito o que falar porque ele iniciou seu trabalho no Santos agora, sem tempo hábil pra dar uma cara ao time, que anteriormente foi dirigido pelo Oswaldo de Oliveira, que pra mim é alguém sem critério e não me passa a sensação de competência, não tenho na cabeça nenhum bom trabalho dele (quando esteve no Corinthians pegou um time magistralmente já montado pelo Luxemburgo cheio de cobras, onde ele não fez/não pode fazer/não precisou fazer – nada demais). O Santos tem um defeito crônico, que tem a ver com a característica dos seus jogadores, que somente o Lucas Lima pode sanar, que é tentar manter mais a posse de bola, atacar na certeza, sem afobação de atacar a todo custo. Quando jogam Cicinho e Caju aí que lasca de vez porque os 2 atacam ao mesmo tempo e somente fica o Alisson pra cobrir os 2 lados. A saída de bola do Santos também é comprometida pelo fato dessa distância que esses laterais criam entre os defensores de área e os meias, sendo que o Alisson não tem qualidade no passe pra essa saída, negócio dele é desarme e passe curto. Tudo isso torna o Santos um time meio sem compactação, o que pro jeito que o Mano Menezes arma o time é um prato cheio.
    Falando do Corinthians, a montagem do time pra mim é muito boa, manteve a qualidade na primeira linha de marcação após o meio de campo (com Petros fazendo o que o Jorge Henrique fazia) aumentou a velocidade dos zagueiros. Mudou a cobertura dos laterais porque o Mano ao contrário do Tite troca a marcação, quem tá fazendo a marcação do lateral adversário, por exemplo, fica na segunda opção de passe quando esse lateral passa a bola e se apresenta na frente. Isso até acostumar confunde o marcador que está na cobertura ou na marcação do receptor. Mas hoje os laterais do Corinthians já se acostumaram, isso cansa menos os jogadores. Com essa volta dos meias pelos lados pra ajudar os laterais do Corinthians prejudicou a parte ofensiva porque o segundo volante que temos hoje não se apresenta como o Paulinho se apresentava, entrando na área. A diferença técnica também é gritante, acho Alessandro melhor que o Fágner, Paulo André melhor que Anderson Martins, Paulinho melhor que o Elias, e o Emerson melhor que Luciano/Malcon, o que faz uma grande diferença.

MaisRecentes

Dois gols que o time de 2015 não tomaria. Isso levará tempo…



Continue Lendo

Quatro anos da morte de Sócrates: Doutor fala da Fiel Torcida



Continue Lendo

Desmotivado e desentrosado, Timão tem seu pior jogo no BR-15



Continue Lendo