Uma cidade que para pelo Corinthians e um retorno às raízes do futebol



Uberaba tem cerca de 300 mil habitantes e seu estádio municipal menos de 15 mil lugares. Mas isso não impediu que o restante da cidade que não poderá assistir in loco ao amistoso entre Corinthians e Uberaba Sport Club, neste domingo, se mobilizasse com o evento. Evento mesmo, porque um grupo de empresários pagou ao clube para contratar a partida e organizou toda uma logística com direito a voo fretado na ida e na volta. Do lado de fora do Uberabão, a mesma movimentação comum nos grandes estádios: bandeiras, camisas e quinquilharias à venda. Os portões do estádio foram abertos às 15h30, e aos poucos a Fiel do Triângulo Mineiro começa a ocupar seu lugar.

Enquanto isso, o Uberabão mostra um verdadeiro retorno às raízes do futebol. O sistema de som é formado por dois alto-falantes (sim, só dois alto-falantes) que tocam antes do jogo começar músicas populares dos anos 60 e 70, principalmente sambas. As lojinhas do estádio vendem feijão tropeiro, amendoim, pipoca e tudo mais. O preço da cerveja e da água, no entanto, é “padrão Fifa”: R$ 5. As moças da cantina só não contavam que tivesse um bebedouro logo do lado de onde cobram o olho da cara por uma garrafinha d’água, mas tudo bem, não vou ser eu quem vai lembrar…

O placar do Uberabão não tem nada de eletrônico. Quer dizer, não tem nada de placar na verdade. As letras estão ilegíveis e também não há números. É bom o Timão não perder as contas no número de gols marcados!

Quatro times da cidade, sub-13 e sub-11 fizeram as partidas preliminares e saíram dois gols, para a festa da torcida que vinha chegando para ver Elias e Jadson e se deparava com os baixinhos.  Só chamou atenção um fato estranho no segundo jogo: um técnico entrou no gramado para instruir os comandados e… não saiu mais! Ficou por lá mesmo, orientando os jogadores que acabaram derrotados por 2 a 0. Interferência quase tão importante quanto a de Louis Van Gaal na Copa do Mundo ontem, né?

“Não deixe o samba morrer”, diz a música nos alto-falantes. Nem o futebol!

WP_20140706_002



  • WAGNER

    – O SANTISTA QUE ESCREVER ABAIXO É VIADO E NÃO TEVE TIME PARA TORCER OU ACOMPANHAR NO FIM DE SEMANA.

    O TIMÃO JOGOU PRO GASTO. GOSTEI DO ROMERO, JOGOU BEM O ROMARINHO, O GUERRERO DEU UM PASSE E DEU SONO, O LUCIANO SÓ FEZ O GOL, O JADSON JOGOU BEM, O RENATO AUGUSTO FOI MUITO BEM, ELIAS FOI O VELHO ELIAS, CÁSSIO NÃO PODE MACHUCAR, POIS WALTER ESTÁ DE MOLHO, MARCELO CIRINO SE VIER FORMA ATAQUE COM ROMERO.

    CORINTHIANS É OUTRO TIME. UBERABA NÃO É PARÂMETRO, MAS A EVOLUÇÃO DO TIME FOI NOTÓRIA.

    ESTIVE ONTEM EM BERTIOGA.
    ESTIVE NO MERCADO.
    NÃO VI NADA DIFERENTE ONTEM.
    O AQUÁRIO DE SANTOS CONTINUA O MESMO.
    O MAR DE SANTOS ESTEVE UM POUCO AGITADO.
    SOUBE DE UM RAPAZ QUE QUASE SE AFOGOU NA PARTE DA TARDE E QUE OUTROS BANHISTAS O SOCORRERAM.
    SIM AMIGOS, ESTIVE EM SANTOS. ESTIVE EM BERTIOGA E PASSEI POR PRAIA GRANDE A TRABALHO. FUI A PRAIA OCIAN. PRÓXIMO A ESTÁTUA DE NETUNO. TEM UM MERCADO DE PEIXE LÉ NÉ? SEMPRE PASSO POR LÁ PARA TRAZER PEIXE PARA SÃO PAULO.
    ONTEM NÃO TINHA O QUE EU QUERIA. PEIXE PORQUINHO FRITO É MUITO BOM EM SABOR E MUITO RUIM EM COLESTEROL. MAS ABUSO AS VEZES DE SABOR.

    PASSAR BEM

MaisRecentes

Dois gols que o time de 2015 não tomaria. Isso levará tempo…



Continue Lendo

Quatro anos da morte de Sócrates: Doutor fala da Fiel Torcida



Continue Lendo

Desmotivado e desentrosado, Timão tem seu pior jogo no BR-15



Continue Lendo