Monteiro com sua maior chance em um Grand Slam



Estreia firme. Segura. Assim foi Thiago Monteiro nesta terça em Roland Garros. Ganhar de um 33 do mundo em um Grand Slam é um ótimo resultado. Seu primeiro grande momento diga-se de passagem em um torneio desse tamanho. Eram três anos aliás sem ganhar em um Major e as duas únicas vitórias só em jogadores fora do top 200, modestos.
Vamos ponderar que. Nikoloz Basilashvili vem em uma fase bem ruim. Não venceu ainda após a quarentena. Perdeu seu sexto jogo seguido. E enfrenta a justiça em seu país. É acusado de agredir a ex-mulher. Foi até preso no fim de maio.
Esses fatores não minimizam a vitória do brasileiro. Pelo contrário. Foi bem nos momentos chave. Salvou set-point na primeira etapa que poderia mudar o rumo da partida. Salvou seis break-points ao todo. Aproveitou bem suas oportunidades.
Foi uma primeira rodada animadora. Assim como é seu caminho em Paris. Segunda rodada contra Marcos Giron, 96 do mundo, 27 anos e sem nenhum resultado expressivo no saibro. E que precisou de mais de quatro horas para vencer Quentin Halys na primeira rodada. Ou seja, o cearense é favorito para ir pela primeira vez à terceira rodada de um Slam.
E confirmando, teria Marton Fucsovics, 63 do mundo, ou Albert Ramos, 44º colocado. Ótimos tenistas e jogo em teoria mais parelho, mas nenhum bicho-papão como costuma ser uma terceira rodada de Slam.Daniil Medvedev, como era esperado, foi eliminado na estreia e segue seu carma sem vencer, pasmém, nenhum jogo no saibro parisiense.
Chegar nas oitavas não é um sonho muito distante. Basta Thiago manter o alto nível e atuações seguras que ele tem boas possibilidades. O fantasma da primeira rodada ele já espantou. Resta acabar com o restante para fazer uma grande e merecida boa campanha em um Major.
Curtinhas:
Este ano Thiago tinha chaves abertas no Rio Open e Buenos Aires e acabou não aproveitando. Vem mostrando um bom nível para deixar mais esses fantasmas de lado.



MaisRecentes

ATP Finals –  Equilíbrio total. Nadal com poucas possibilidades



Continue Lendo

Nadal, perfeito, só vai parar de ganhar Roland Garros quando quiser



Continue Lendo

Nadal x Djokovic – A final histórica de Roland Garros



Continue Lendo