Nadal não se cansa. Só muda o coadjuvante



Dominic Thiem tentou. Produziu um grande tênis por um set e meio, deu a sensação que no mínimo poderia levar Rafael Nadal ao limite, ao quinto set, mas Nadal em Roland Garros é um caso a parte.
A brecha que o espanhol teve no primeiro set foi o que Dominic não poderia ter dado. Depois de muito lutar e energia gastar nas duas primeiras parciais ele cansou mentalmente enquanto que o Touro voltou babando e praticamente passeou.
Os números não mentem. Nadal venceu todos os 101 jogos em que saiu na frente no saibro em melhor de cinco. Os únicos que perdeu, em Roland Garros, vinha com problemas físicos. Em situações normais o homem é imbatível, não se cansa de vencer, bater recordes, se motivar e não dar chances.
Pelo segundo ano seguido, Thiem é o coadjuvante na festa de Nadal. Roger Federer, Novak Djokovic, Mariano Puerta, o próprio Soderling, David Ferrer e Stan Wawrinka.
E quando a festa vai acabar ? Só quando o Touro quiser.


MaisRecentes

ATP trabalha com hipótese de dois rankings no retorno



Continue Lendo

Djocovid joga sua imagem no lixo



Continue Lendo

Catástrofe de Djokovic tem muito a ensinar na volta ao circuito



Continue Lendo