Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Nem o calor e umidade nas duas semanas foram capazes de domar a confiança de Novak Djokovic. O velho e eficiente Novak Djokovic está de volta, jogando o tênis fino e preciso e as finais do US Open mostraram a fome por títulos e por recordes que ele está disposto a alcançar.
Del Potro teve suas chances no segundo set, alguns break-points e liderança no tie-break. Não aproveitou, viu o cavalo selado passar e não conseguiu montar e acabou duramente punido com uma derrota em três sets que até não merecia.
O sérvio fica a meros 455 pontos de Roger Federer e 2315 de Rafael Nadal sem nada a defender até o fim do ano onde costuma ter desempenho acima da média. Com a queda física e os novos problemas de Nadal e também do suíço, o número 1 do sérvio parece ser questão de poucos meses.
E Serena Williams ? Fez um papelão na final. Não foi o primeiro no US Open, já pagou mico brigando com árbitros anteriormente e agora mesmo estando errada chamou o árbitro de ladrão, foi punida corretamente e ainda saiu esbravejando culpando o mesmo de sexismo. Tudo bem que a tenista tem razão muitas vezes quando levanta essa bandeira, mas nesse caso específico é muito mais uma choradeira e o mimimi para justificar o injustificável. Ela estava errada, pagou mico e mostrou mais uma vez porque, mesmo com seus 23 Slams, não tem nem perto do carisma de Federer ou Nadal. Não é uma boa perdedora.
E o Brasil cada vez mais de olho em Thiago Wild. Sem jogar nenhum torneio preparatório veio e ganhou o US Open com algumas vitórias contundentes e uma final onde se viu no buraco e se reergueu. Tem um tênis moderno, agressivo e parece não se deslumbrar com feitos no juvenil. Quer se dar bem no profissional e já vem com alguns bons resultados para sua idade, fazendo até o momento uma transição natural ao lado de sua equipe da Tennis Route no Rio de Janeiro.
Além de potência nos golpes o menino é destemido, tem personalidade e tem tudo para decolar. É a maior esperança do tênis brasileiro desde Thomaz Bellucci. Fiquemos ainda mais de olho após esse grande feito de se tornar o primeiro brasileiro campeão de simples no US Open juvenil.


MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo