Orlandinho Luz, mais um talento se perdendo ?



orlandoluzitajai152

Número 1 do mundo juvenil, bicampeão da Copa Gerdau, do Banana Bowl, treinamentos com Roger Federer, quartas em Roland Garros, ainda como juvenil semi e quartas de challenger. A carreira de Orlandinho Luz prometia (e ainda promete!), mas o jogador vem em uma temporada de retrocesso onde já se pode questionar se teremos mais um grande talento do tênis perdido na transição para o profissional.

Uma série de lesões na perna, no braço, agora dores no ombro e cirurgia para corrigir uma miopia fizeram com que o jovem de 19 anos jogasse apenas dez torneios em 2017 com duas finais de futures e sem sucesso nos qualies dos challengers e ATPs.

As lesões sim atrapalham, mas a atitude é que no momento não parece ser a adequada. Orlandinho deixou o centro de treinamento da ADK Tennis, em Itajaí (SC), e um bate-papo do UOL no blog de Alexandre Cossenza deixou no ar o que poderia ser uma falta de comprometimento do atleta com os objetivos da academia traçados para ele. Basta ler aqui – https://saqueevoleio.blogosfera.uol.com.br/2017/08/18/orlandinho-encerra-trabalho-ct-parceiro-cbt-treinar-com-pai/ .

E agora Orlandinho que já passou também nas mãos de Larri Passos, volta aos braços do pai em Balneário Camboriú e ainda decidirá nos próximos dias ou semanas (enquanto trata outro problema físico) se ficará com ele ou se tomará outro rumo na carreira.Pai de Orlandinho, Orlando Luz trabalha na academia do competente Marcus Vinícius Barbosa, a MVB, um dos grandes nomes na carreira de Bia Haddad Maia que hoje se desenvolve muito bem na Tennis Route, no Rio de Janeiro.
No tênis cada um tem seu tempo, mas achar que ser o melhor do mundo apenas no juvenil o transformará num grande nome no profissional é puro engano. Um bom juvenil abre muitas portas, patrocinadores, apoios, visibilidade, mas traz uma pressão ainda maior. E é preciso muito comprometimento e trabalho duro para aguentar a dureza do circuito profissional. Focar mais no trabalho em quadra do que no celular e algumas fanfarronices nos snapchats e instagram.

Orlandinho só tem 19 anos e muita bola pela frente, ainda tem chance de remar na direção correta para não deixar que o barco à deriva afunde de vez.



MaisRecentes

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo