Federer, o favorito, com a chave mais dura



Começa nesta segunda o que pode ser o Wimbledon mais aberto de todos ? Será ? Vejo um favoritismo um pouco acentuado a favor de Roger Federer que terá que lidar com uma chave que pode ser indigesta se os favoritos confirmarem.

A divisão dos cabeças de chave peculiar do torneio, contando 100% dos pontos do melhor torneio do ano anterior na grama mais 75% de 2014, fez com que os Big Four se evitassem até a semifinal dando uma equilibrada na chave. Por mais que Stan Wawrinka seja muito forte, a grama é sua pior superfície.

Mesmo assim a vida de Roger Federer tende a não ser das mais fáceis desde a primeira fase com o talentoso e perigoso Aleksandr Dolgopolov na primeira rodada, um Mischa Zverev que apesar de nunca tê-lo derrotado, joga bem no piso, Grigor Dimitrov que já bateu Federer em outras oportunidades, tem semi de Wimbledon, título em Queen´s. Nas quartas Milos Raonic, seu algoz do ano passado e atual vice-campeão. A questão é, se Milos vai chegar uma vez que as lesões o tem deixado na mão este ano. Se chegar estará confiante e é perigo para Federer. Alexander Zverev é potencial rival das quartas e outro nome forte. E Novak Djokovic, que não tem uma estreia fácil contra Martin Klizan, mas voltou a jogar bem, ganhando Eastbourne e chega confiante e o melhor, para ele, sem pressão, defende terceira rodada.

Rafael Nadal, do outro lado, não tem uma vida pra lá de muito fácil. Ele demora a engrenar na grama e tem sacadores nas primeiras fases se Denis Istomin passar para a segunda e Karen Khachanov avançar à terceira e depois Marin Cilic nas quartas e Murray na semi.

A questão de Murray é uma incógnita. Jogou apenas uma partida, fez feio contra o modesto Jordan Thompson, mas corre maior perigo numa eventual segunda rodada contra Dustin Brown que é perigoso na superfície. Passando às oitavas a previsão é de estar dentro do torneio e resgatando sua confiança para um eventual duelo contra nick Kyrgios, isso se o australiano, também com dores no quadril, avançar. Ao jogar videogame até pra lá de 1h da madrugada passada com estreia já amanhã ele parece não estar tão comprometido assim. Veremos.

Nomes como Haas, Verdasco e Anderson podem embarreirar uma boa campanha de Stan Wawrinka. Motivação é o que não falta pro suíço podendo fechar o Career Slam no torneio, mas não basta isso, a grama exigirá maior variação e muito de seu serviço. Seu poderoso backhand é menos eficiente em um piso onde a bola espirra mais e dá menos tempo de reação.

Tanto o masculino quanto o feminino teremos uma disputa que promete ser empolgante pelo número 1, isto é, se as estrelas avançarem. Só Federer entre os cinco primeiros está fora da briga. Até Novak Djokovic, tendo que ser campeão e torcer para Murray e Nadal caírem até as quartas, tem chances.

No feminino Karolina Pliskova surge com boas credenciais para o troféu e assumir o topo. Maiores que Angelique Kerber e Simona Halep pelo menos. Petra Kvitova, se o físico ajudar, é uma ótima pretendente.

Dos brasileiros Bia Maia e Thomaz Bellucci são os que têm maiores chances de avançar, mas não foi nada bom o que fez Thomaz em seu torneio preparatório. Escolheu jogar um evento somente, pegou chave dura contra Kevin Anderson e pouco viu a cor da bola. Um qualifier em Wimbledon e você sem muita confiança nunca é uma boa combinação, mas tênis por tênis ele é favorito.



MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo