Touro afia as garras para Roland Garros



Aquele Rafael Nadal temido do saibro está de volta. Madri deu o tom do que acontecia no pó de tijolo até poucos anos atrás: o domínio do Touro Miúra. Sim ele ganhou Monte Carlo e Barcelona, mas em Madri apagou o fantasma chamado Novak Djokovic onde vivia sob a sombra de sete derrotas seguidas e quase três anos sem vitórias. A fase do sérvio não é a mesma que nas últimas duas temporadas, mas é aquela coisa, clássico é clássico.
Dominic Thiem se mostrou um forte adversário, capaz de derrotá-lo, mas ao mesmo tempo fez provar que o mental do espanhol que tão forte quanto outrora. Independente do que aconteça em Roma, Roland Garros tem seu favorito destacado.
Ah sim, Roger Federer não pode ser jogado para escanteio, mas nem o mais otimista torcedor dele o colocaria a frente de Nadal nas bolsas de apostas.
O ranking é regularidade e desempenho. Nadal soma três títulos com três vice-campeonatos e Federer ficou de fora dos eventos no saibro prévios, portanto nada mais justo que o espanhol assumir essa liderança na temporada. A situação ficará interessante uma vez que no ranking de entradas Nadal é o quarto e Federer o quinto, deixando o suíço solto para pegar um Murray ou Djokovic nas quartas em Paris.
 Pensando no de entradas Djoko e Murray seguem caindo e Federer e Nadal sonhando com o topo em breve. Muito breve.
Final de semana incrível para o tênis brasileiro. Bia Maia campeã em challenger forte de US$ 100 mil na França. O que foi mais positivo foi a contundência de suas vitórias, passou o carro em todo mundo. Entrou para o top 100 sendo a sétima brasileira a alcançar tal façanha. Maria Esther Bueno não entrou no ranking criado no meio da década de 70, mas por muito tempo foi considerada a melhor do mundo.
Marcelo Melo campeão em Madri e número 1 da temporada com dois Masters 1000 em três finais. Quem diria após um começo de ano onde até pensou em abandonar Lukasz Kubot. Thiago Monteiro recuperando a confiança ao derrotar Thomaz Bellucci na final do quali e com boa chave em Roma. Bellucci pegou sua vaga como lucky-loser, mas tem o forte e top 10 David Goffin pela frente.


MaisRecentes

Novo título em Wimbledon significaria muito para mim, afirma Federer



Continue Lendo

O melhor Rafael Nadal entra para a história do esporte



Continue Lendo

Djokovic ou Thiem podem parar Nadal ?



Continue Lendo