King Roger



Com 19 vitórias e uma derrota, três títulos conquistados nos três principais eventos do ano, Roger Federer tem desempenho igual ao dos anos de 2005 e 2006 quando esteve absoluto no tênis e terminou como o número 1 do mundo.

Em Miami a campanha não foi tão avassaladoura, teve seus percalços, salvando match-point contra Tomas Berdych, com jogo muito apertado contra Nick Kyrgios e teve a quarta vitória em quatro jogos diante de Rafael Nadal
Dá pra dizer que o suíço encontrou o antídoto contra seu maior rival o qual era o maior freguês. Pela primeira vez o derrota em quatro finais consecutivas . Anuloua principal arma do espanhol contra ele que são as bolas altas do backhand. Seria o trabalho do técnico Ivan Ljubicic que tinha por melhor golpe o revés com uma mão ? Certamente sim. A confiança pela série invicta ajuda muito Federer a jogar livre, sem pressão, sem responsabilidade, sem peso a carregar.
O que será do saibro ? São 4045 pontos na temporada contra pouco mais de 2 mil de Nadal, liderança absoluta vendo Andy Murray em 12º e Novak Djokovic em, pasmem, 22º lugar na temporada.  Nem o torcedor mais otimista esperava tanto.
E agora o saibro em princípio Federer deve descansar. Após vencer Miami deu a entender que não jogará nenhum torneio antes de Roland Garros, mas está inscrito em Madri. O jogo super agressivo que consegue fazer na quadra rápida não funciona tanto no piso lento e suas chances se reduzem, mas confiança pe confiança.
O objetivo do número 1 fica cada vez mais claro, mas não é uma obsessão. Ele pode perfeitamente praticamente não jogar no pó de tijolo e marcar mais 4,5 mil, 5 mil pontos que poderiam dar sim o topo até o fim do ano. Repito que o essencial seria vencer Wimbledon e ir muito bem no US Open, beliscando um bom resultado em Roland Garros. Em tese somando estes três Slams mais possivelmente os dois ou três Masters 1000 no verão americano e no fim de ano e o ATP Finals seriam mais 10,5 mil a disputar.
Curtinhas:
Bia Maia na final do quali no WTA de monterrey entrando como favorita para passar à chave. Teliana fez um game contra uma húngada abaixo das 250 do mundo, mais um sinal ruim da fase da pernambucana que já vem durante mais que o normal.
Terminou o São Conrado Open, na praia de São Conrado, no Rio de Janeiro, 5ª etapa da Liga Nacional de Beach Tennis, com premiação de R$ 6 mil e títulos para Raffael Agulha/Kuteer volmer e Nathália Costa/Luciana Fernandes, quarto deles nas cinco etapas. Cada dupla já embolsou cerca de R$ 10 mil pelas conquistas.
Já são mais de 1.150 participantes nas cinco etapas das 26 confirmadas. O circuito segue para Porto Seguro (BA) no próximo final de semana com mais de R$ 10 mil em jogo. Ao todo o circuito nacional distribui R$ 140 mil passando por sete estados.


MaisRecentes

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo

Bellucci se reencontra



Continue Lendo

Rep. Tcheca seria o melhor rival do Brasil na Copa Davis



Continue Lendo