Federer se deu pior na chave na Austrália



Começa hoje o Australian Open, época de madrugadas bem acesas para a galera e o primeiro dia já reserva Thomaz Bellucci x Bernard Tomic que promete ser muito bom se o brasileiro conseguir um ritmo adequado – vem de derrota no único jogo que fez no ano em Sydney – e um Monteiro x Tsonga que é a revanche do francês do Rio Open de 2017. Ao contrário de Thomaz, Thiago fez quatro jogos com a mesma bola do torneio, três em condições bem similares, mas a situação é outra do Rio, o piso rápido é mais propenso para o europeu. Mesmo assim se Thiago conseguir seu melhor nível pode incomodar e quem sabe dar uma surpresa novamente.

Quem se deu pior na chave ? Eu julgo que Roger Federer. Qualifier e qualifier nas duas primeiras rodadas, mas um experiente Jurgen Melzer, ex-top 10, e a partir da terceira só pedreira. Tomas Berdych, Kei Nishikori, Andy Murray, Stan Wawrinka e Novak Djokovic. Sossego pode ser raro em sua vida em Melbourne.

Dificilmente Djokovic vai entrar tão desligado quando em Doha contra Fernando Verdasco, mas a bola do espanhol tende a incomodar bastante o sérvio. O problema é na cabeça como vimos no Qatar.

O torneio aliás está bem equilibrado, apesar de acreditar que Federer tem o pior caminho, temos a estreia dura de Nole, Nadal com início indigesto com a variação de Florian Mayer, depois o forte Alexander Zverev na terceira e pedreiras a seguir.

O evento tende a ser o que a primeira semana mostrou, ninguém sobrando, os tops suando e jogos muito interessantes.

E Serena que se cuide. Não costuma jogar bem no começo dos Slams e pega uma Belinda Bencic logo de cara. Potencial zebra por aí. Angelique Kerber que se cuide também, tem rivais mais tranquilas, mas nos dois primeiros torneios do ano mostrou que o peso de ser líder do ranking está firme sobre suas costas.

 

Curtinhas:

Brasileiros perderam todos no quali. O bravo André Ghem foi o único na última rodada e mais uma vez bateu na trave. Uma pena. Teliana e Paula pegaram rivais duras e ficaram pelo caminho.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo