Pintou o novo número 1 ? E a ATP vai afrouxar novamente ?



Não fosse a vacilada no US Open, Andy Murray poderia estar alcançando nesta ou nas próximas semanas a liderança do ranking, mas os dois títulos seguidos na Ásia com 1500 pontos no bolso e a consequente queda de Novak Djokovic colocam o britânico em ótima posição para assumir a ponta até o fim da temporada, quiçá em Paris ou no ATP World Finals.

A vantagem oficial é de 2415 pontos, mas olhando um mês a frente é inferior a mil, ou seja, a conquista de Paris ou uma boa campanha por lá e um ATP Finals muito bom do britânico. Apesar de nunca ter vingado jogando em casa no torneio com os oito melhores do ano, a consistência, o bom tênis apresentado ao longo de todo ano e nas últimas semanas somados aos problemas físicos e extra-quadra do sérvio levam a crer que no mínimo o escocês terminará 2016 colado com o atual líder.
Djokovic não fala e nada se prova, mas a imprensa sérvia especula rumores de traição de Nole à sua esposa Jelena no meio do ano e um possível término da parceria com Boris Becker. Faltando um mês para terminar a temporada ele não renovou e nem conversou com o alemão sobre manter o trabalho para 2017.
Some aí as dores no cotovelo que vem desde a Olimpíada do Rio e outras pequenas dores. Quem parecia ser de ferro e na batida para somar mais recordes dá sinais evidentes de queda e é a maior chance na vida de Murray conquistar o que parecia impossível poucos meses atrás.
A ATP vai afrouxar novamente ? Passaram quatro dias e por enquanto o que temos é uma multinha de R$ 52 mil para Nick Kyrgios, quase metade do que ele levou em Xangai. O exemplo no ano passado não foi dado pela ATP, colocaram o tenista numa quarentena, ele ficou pianinho e agora deliberadamente entrega um jogo sem mais nem menos ainda zomba do público, da mídia e de todos. Se não vier uma suspensão dura, será uma vergonha para a ATP e o esporte por mais que o menino mimado traga ibope com todas as suas palhaçadas e abusos.
É bom ressaltar que o caso já está na mão do responsável por regras, as multas aplicadas foi o máximo possível que se pode fazer no torneio.


MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo