Dupla decepção



O final de semana não foi como imaginávamos para o Brasil em Ostende. Obviamente era um confronto duro, mas nossos principais tenistas estiveram abaixo do que poderiam render e admitiram isso. E o placar não mente. 4 a 0 para a Bélgica.

Thomaz Bellucci seguiu a tônica de seu ano irregular. Fez uma semana memorável na Olimpíada, encheu o torcedor de esperança e não jogou bem tanto no US Open como contra Steve Darcis. Darcis aliás tinha um jogo certinho para enrolar o brasileiro no tipo de piso escolhido, slices, tira o peso, vai pra rede, acelera. O brasileiro acabou perdendo a confiança aos poucos e pressionado não conseguiu reagir. Não deixa de ser uma decepção uma vez que era um ponto onde era favorito e chave para o confronto.

E a dupla Marcelo Melo e Bruno Soares não atuou bem mais uma vez. Pegou belgas inspirados e soltos pelo placar de 2 a 0, mas esteve a frente duas vezes no marcador e não conseguiu matar. O ponto que era ganho e daria sobrevida foi embora de forma surpreendente.

É a terceira vez seguida em Davis que Melo e Soares não conseguem jogar no melhor do que já mostraram juntos na competição. Perderam da dupla croata onde tinham ligeiro favoritismo e sofreram contra equatorianos sem experiência e entrosamento. Se individualmente com seus parceiros seguem firmes e no top 5 com ótimas temporadas, o ano deles juntos não foi como se imaginava. Não disputaram medalha na Olimpíada e nos demais torneios alcançaram uma semifinal apenas. O click de 2016 não veio, infelizmente.

Thiago Monteiro pegou um dos adversários mais duros para se estrear numa Copa Davis, um jogador regular, firme, consistente e no piso que não é o seu preferido. Difícil fazer sua estreia na Davis numa partida como essa. Fica o aprendizado pois será de grande valia para os próximos duelos.

A Argentina mostrou a versatilidade da equipe que ganha muita força com a presença de Juan Martin del Potro. Três dos jogadores com nível top 50 e um deles craque que faz a diferença para bater a Grã-Bretanha em um confronto memorável. Tem grandes chances de bater a Croácia e faturar finalmente seu primeiro título de Copa Davis mesmo jogando fora de casa. Para os croatas, a recuperação de Borna Coric, que jogou a semi lesionado, será fundamental.



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo