Federer não está acabado. Brasil com sete na Olimpíada ?



Roger Federer duas semanas em torneios na grama perdendo para jovens valores no detalhe. Já se fala que o suíço acabou, perdeu o gás. Sim, ele não é o mesmo, mas isso já sabemos desde o começo desta década. Agora o tênis é cíclico que Roger, como todo tenista, passou por lesões e não é em um clique, em um torneio que a confiança vai voltar. Leva um tempo, ainda mais em sua idade e suas derrotas em Halle e Stuttgart não foram acachapantes, mais sim apertadas. É preciso dar tempo ao tempo.

Novak Djokovic só é tão dominador porque é excepcional e não tem lesões. Quando elas vierem, e vão chegar, será impossível manter tal domínio. Por enquanto ele é bem favorito em tudo que joga.
E na Olimpíada a CBT inscreveu sete tenistas. Além de Thomaz Bellucci, Teliana Pereira e a dupla Marcelo Melo e Bruno Soares que está garantida, André Sá foi inscrito com Bellucci na dupla, eu diria com boas chances de entrar – seria assim o brasileiro com mais Jogos Olímpicos no tênis com quatro disputas -, Rogério Dutra Silva também com grandes possibilidades, mas aguardando as apelações que a ITF vem recebendo. Por exemplo, Juan Del Potro usaria ranking protegido e tampouco esteve apto pra Copa Davis, brigou com a federação local. Paula Gonçalves tem boas chances de formar a dupla nacional com Teliana Pereira, mas tem remotas possibilidade de jogar simples como foi inscrita.
A incógnita é a dupla mista. Com quem Teliana Pereira joga ? O ideal seria a Paula com Bruno, mas a escolha deve ser por melhor ranking. Marcelo Melo no momento é o 1 do Brasil. Mas a definição dessa categoria só sai na semana dos Jogos.
Curtinhas:
André Sá, aos 39 anos, vice em Queen´s, derrotando Bruno e Jamie nas quartas. Mostrando o seu valor e de volta ao top 50.


MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo