Cada dia mais freguês



 

O quadro estava desenhado. Os primeiros games mostraram a gana, confiança e certo domínio de Rafael Nadal. 4/2, um 0/30, um rival errático e no segundo set novamente quebra o tempo todo na frente, set-points na mão com o serviço. Mas novamente Novak Djokovicfoi lá e venceu. Pela sétima vez consecutiva. Dois anos completará agora em Roland Garros que o espanhol não sabe o que é uma vitória e tirar um setzinho do sérvio.
A série gigante para um clássico como esse não é inédita. Nole fez 7 a 0 entre 2011 e 2012 e isso tudo faz com que o natural de Belgrado abra 26 a 23 no histórico.
É certo que Nadal demonstra melhoras a cada torneio – no saibro pelo menos – que recuperou a confiança, mas quando vê Djokovic pela frente fica aquela sensação que Roger Federer tem quando mira o Touro do outro lado da rede.
Pneu de Bellucci – Deusllucci no primeiro set contra djokovic ontem. Nem o mais otimista torcedor brasileiro esperava um pneu do número 1. De fato foi histórico, mas parou por aí. Uma pena. Agora é uma semana para levantar a mora do brasileiro que estava bem abalada. Bateu Gael Monfils e Nicolas Mahut com bom tênis.


MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo