‘Zikados’



Nesse período onde só se fala no vírus zika pelo Brasil e Rio de Janeiro nem mesmo o constante fumacê consegue erradicar totalmente os mosquitos do Jockey tanto é que repelentes são vistos com constância nestes primeiros dias na sala de imprensa e a epidemia é tema e por enquanto uma pequena preocupação dos jogadores.

O vírus deu uma contaminada na chave principalmente a masculina com estreia difícil para os brasileiros no Rio Open. Thomaz Bellucci ganhou o direito de escapar dos sete outros melhores ranqueados, mas pegou justo o primeiro fora da lista, 31º do mundo e pelo qual perdeu nos dois encontros, Aleksandr Dolgopolov, tenista pelo qual ninguém gosta de jogar por sua imprevisibilidade. E caso siga avançando tem Rafael Nadal numa possível quartas de final, isso se o mesmo passar por um eventual duelo contra Nicolas Almagro nas oitavas.
Rafa parece também estar “zikado”. Teve dor de barriga, sofreu com o calor e jogou muito mal todos os seus três jogos em Buenos Aires. O pior é que ele acreditou que atuou bem na derrota na semifinal. Esse conformismo e as atuações estranhas da Austrália e agora geram certa estranheza e colocam dúvidas aqui no Rio de Janeiro. Pelo menos trabalho não faltará. Chegou à tarde no Rio de Janeiro e já foi treinar numa quadra 1 cheia num domingo à noite.
João Souza, o Feijão, pegou um rival acessível, Diego Schwartzman, mas pelo qual nunca ganhou em três partidas. Ele tem a pressão da defesa de 90 pontos do Rio Open.
Thiago Monteiro, que faz sua estreia na chave de um ATP, pegou logo Jo Tsonga, nono do mundo e bem experiente. O garoto vem jogando bem nos challengers por aqui com vitórias sobre o número dois do Brasil, Rogério Dutra Silva e argentinos no top 200, mas Tsonga é outro nível. Tende a ser uma grande experiência para o jovem de 21 anos.
No feminino chave complicada para Teliana Pereira e Bia Maia e Paula Gonçalves furando o quali e chegando confiante contra uma rival que já venceu duas vezes. Pode dar samba.
Curtinhas:
Quem é completamente zikado em finais é Gael Monfils. Levou virada para Martin Klizan e perdeu sua 18ª final em 23 disputadas.


MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo