Maior conquista do tênis brasileiro em 14 anos. Wawrinka tem sim chances



Que momento para o tênis brasileiro a conquista de Marcelo Melo neste sábado em Roland Garros. O maior feito para o tênis nacional desde as conquistas de Gustavo Kuerten lá mesmo em Paris. Nunca um brasileiro havia vencido um Slam nas duplas do masculino e com um atenuante, derrotando a melhor dupla da história (com 16 Majors e 108 canecos no currículo) e com uma virada espetacular, ressurgindo das cinzar.

Há alguns anos que nossos duplistas batiam na trave. Uma hora iria sair. Tinha que ser hoje e tinha que ser da maneira que foi. Gostinho mais do que especial.
Marcelo merece ser reverenciado e andar de carro de bombeiro quando chegar em sua cidade. Toda a badalação que um Grand Slam dá ao tenista.
É incrível ver a evolução de Marcelo. Um jogador com deficiências no saque, na devolução e que em poucos antes progrediu em todos os aspectos e também no metal. A conquista não é fruto de sorte e sim de muito trabalho.
Com a façanha, ele e Dodig já podem reservar seus bilhetes para o ATP Finals de Londres – seria mais que um desastre com 4120 pontos não se garantirem na competição – e de quebra se tornam na próxima segunda-feira a melhor dupla do ano. O próximo objetivo ? Para Melo vencer Wimbledon onde bateu na trave com o vice em 2013 para os mesmos Bryans. Depois a meta é pegar o número 1 do ranking individual. Aí o buraco é mais embaixo, a diferença vai diminuir, mas ficará em pouco menos de 4 mil pontos.
Djokovic x Wawrinka
Espero uma grande final neste domingo às 10h com transmissão do Lancenet! Só olhando o retrospecto noto que dos seis jogos melhor de cinco sets entre os dois, cinco foram ao 5º set com quatro vitórias do sérvio. Dessas seis partidas, cinco foram em Majors e nenhuma em Roland Garros.
Djoko não terá vida fácil. Assim como na Austrália ano passado, Wawrinka virá sem pressão nenhuma e com muita confiança. Sacando muito bem, batendo direita e esquerda como nunca e o principal, servindo e jogando demais nos momentos de pressão. Se vencer o 1º set então, ficará com mais força ainda.
Se por um lado tem grande confiança, Djokovic tem a enorme pressão de ter mais uma chance de ganhar o único Major que lhe falta para se tornar o oitavo homem a vencer o Career Grand Slam. Podem acreditar, isso acabar pesando mais numa final onde no papel você é o favorito.
Temos ingredientes para um jogão de cinco sets.
Murray morreu na praia – Espetacular a série de Murray no saibro, mas outra vez morreu na praia contra o sérvio. Batalhou, batalhou para chegar no 2º game do quinto set cometendo três erros bobos que deram a vantagem que Djokovic precisava para pegar confiança e jogar mais solto. É só olhar o retrospecto entre os dois. Oitava derrota seguida e a produção sempre mais baixa do britânico nos sets decisivos de Murray. É preciso resolver essa questão mental contra o atual número 1.
2ª maior marca
A vitória de hoje fez com que Djokovic obtivesse a 28ª vitória seguida e igualasse seu segundo maior recorde seguido. O maior foi entre  2010 e 2011 com 43 triunfos consecutivos.
20 vezes Serena 
Melhorou de um dia pro outro da gripe ou sei lá o que que ela tem (nem ela sabe pelas coletivas de imprensa dadas). Mostrou que ganha de todo mundo mesmo doente e até mesmo com a mão esquerda (sim, ela fez um ponto batendo uma bola com a canhota!). Não tem pra ninguém no circuito feminino. Ela está a quatro conquistas de Margaret Court e a duas de Steffi Graf. Alguém duvida que passará essa marca ? Eu não.


MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo