O Fim de uma ERA…



Todo Rei um dia perde sua majestade. Por mais que seja duradouro e incrível, nada é para sempre.

Novak Djokovic derrotou Rafael Nadal em Roland Garros. É um dia marcante para o tênis. É o FIM DE UMA ERA. O Rei do Saibro, Rafa Nadal, foi, neste dia 3 de junho de 2015, deposto do trono e com autoridade pelo soberbo sérvio. Eram seis anos e 39 vitórias seguidas.

Veja bem. Não disse que Nadal acabou e que nunca mais voltará a ganhar Roland Garros, algo que perfeitamente pode voltar a acontecer, mas ao passo que a idade dele avança (terá 30 para 2016), seu rendimento físico não é mais o mesmo e os adversários passam a derrotá-lo. Em seu devido lugar algo que passou a acontecer com Roger Federer a partir de 2008.
Se fosse apenas essa derrota para Djokovic ou derrotas para o sérvio como ocorreu ano passado, exceto em Paris, seria uma história diferente, mas a temporada no saibro simboliza que o espanhol desceu e que não terá mais o domínio que já teve na superfície.
Que ressaltemos o brilhante momento que passa Novak Djokovic. Abriu um 4/0, tomou o empate e teve o poder mental para vencer o primeiro set decisivo na partida e manter o alto padrão no segundo set. 27 vitórias seguidas e sem derrotas nos grandes torneios desde a semi em Xangai para Federer em outubro do ano passado.
Há quem diga que se o adversário fosse outro, Nadal ganharia jogando o que atuou hoje. Não acho que venceria nem Andy Murray e nem Stan Wawrinka que estão em um momento também especial na superfície e no torneio. E vejo os dois como rivais muito perigosos para Djokovic principalmente o suíço depois do que jogou contra Federer e pelo que vem fazendo no torneio, sendo aquele Wawrinka que levou o sérvio ao quinto set na Austrália este ano e que venceu o Major australiano ano passado.
E que fique claro. Nadal vai cair no ranking (será 10º se Wawrinka fizer final ou 11º se Tsonga decidir o torneio), mas isso não quer dizer que ele acabou para o tênis. Muito pelo contrário, vai lutar e voltará a ter confiança para conquistar grandes torneios. Todavia não é como antes.
E que não deixemos de ressaltar que jamais alguém alcançará o feito de nove títulos de Nadal em Roland Garros. É um dos recordes mais incríveis do tênis.


MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo