Bellucci é top 10 no saibro no ano e 3º maior vencedor



A conquista deste sábado no ATP 250 de Genebra, na Suíça, coroa a boa fase vivida por Thomaz Bellucci que tem três pilares que vira e mexe faltavam ao seu jogo: mental e físico fortes e amadurecimento como jogador. Não se deixar abater por deslizes, voltar, reconectar a estratégia ideal que imponha seu volume e se assim não puder, danificar o adversário.

O mais legal de tudo isso é que Bellucci, com o troféu, se torna top 10 no piso de saibro no ano, ou seja, entre os dez melhores pontuadores na superfície e ainda empata com o uruguaio Pablo Cuevas como o terceiro maior vencedor de partidas na superfície.

Vamos primeiro aos pontos. Novak Djokovic é o líder com 2000 sendo dois eventos jogados e dois canecos em Masters 1000. Rafael Nadal ficou com 1615 na segunda colocação. David Ferrer em terceiro com 1400. Andy Murray ficou em quarto lugar com 1340, seguido por Tomas Berdych,Kei Nishikori, Roger Federer, Pablo Cuevas, Fabio Fognini e Thomaz Bellucci que chega em Roland Garros com 590 pontos na superfície. Thomaz ficou na frente de nomes como Stan Wawrinka, Gael Monfils, Grigor Dimitrov, Richard Gasquet, Fernando Verdasco, Marin Cilic, entre outros. A tabela completa você pode ver abaixo. O triunfo de hoje foi o 14º em 24 partidas no saibro (descoberto) no ano o colocando com igual número a Cuevas que venceu 14 só que perdeu seis. Nadal, por incrível que pareça, foi o que mais ganhou com 17 vitórias e cinco derrotas seguido por David Ferrer com 15 triunfos e quatro quedas.

Há ressalvas é claro. Bellucci jogou onze torneios, mais que todos esses e sobre os pontos somou qualies de Roma e Madri, mas é muito significativo estar entre os melhores nas estatísticas.

É um prêmio para a evolução notória em seu jogos nos últimos dois meses e meio. Fruto do trabalho de sua equipe, João Zwetsch e o preparador físico, André Cunha, o qual viajou com o tenista e o técnico nas últimas semanas. Agora é Roland Garros e no meu ponto de vista, Bellucci, mesmo com as seguidas semanas, parece muito bem fisicamente para suportar o torneio e vai com uma baita confiança. Não deve ter muitos problemas na estreia e vejo com bons olhos a segunda fase contra Kei Nishikori.

Veja os pontos do ano no saibro:

1 – Djokovic 2000 (dois torneios, dois títulos) 2 – Nadal 1615 (seis torneios, um título) 3 – Ferrer 1400 (cinco torneios, um título) 4 – Murray 1340 (três torneios, dois títulos) 5 – Berdych 1140 (três torneios) 6 – Nishikori 1040 (três torneios, um título) 7 – Federer 950 (quatro torneios, um título) 8 – Pablo Cuevas 635 (sete torneios, um título) 9 – Fognini 635 (oito torneios) 10 – Thomaz Bellucci 590 (nove torneios, um título) 11 – Stan Wawrinka 585 (quatro torneios) 12 – Monfils 495 (três torneios) 13 – Dimitrov 495 (quatro torneios) 14 – Isner 450 (cinco torneios) 15 – Garcia-Lopez 440 15 – Monaco 440 17 – Bautista Agut 405 18 – Gasquet 340 19 – Verdasco 390 20 – Andujar 385 21 – Kohlschreiber 375 22 – Raonic 360 23 – Leonardo Mayer 350 24 – Estrella-Burgos 340 25 – Lopez 330



  • Rogério

    Saber jogar todos sabem, o nivel dele tem que subir, mentalmente e saber que todos os pontos são iguais,seja nas trocas longas ou no erro do adversário, saber ler taticamente a partida ele vai melhorar muito o ranking dele, tem boa esquerda e um saque bom, e mão pesada.

  • felipe

    Bellucci tem o que é mais difícil, o talento, não é possivel que seja tão dificil assim conseguir engrenar e se tornar um grande jogador que possa liderar o Brasil, caramba, arranjem um psicologo, vai trocando de tecnico ou preparador fisico até achar, jogo o cara tem de sobra

MaisRecentes

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo