O melhor de Djokovic ?



Novak Djokovic vive uma de suas melhores fases. Será que é o melhor dele ?

Mais uma vez em um grande torneio tirou seu melhor tênis contra dois de seus maiores rivais. Botou  Andy Murray no bolso na semifinal e o bateu pela sexta vez seguida esfriando uma rivalidade que era bem interessante até aqui. Foi também superior a Roger Federer numa final de grande qualidade até a metade do terceiro set.

Declarações de Novak Djokovic após a conquista de Indian Wells esbanjam a confiança do sérvio e ele precisa estar assim mesmo. Jogou o melhor quando deveria, nos principais torneios – Austrália e Indian Wells – e diante dos tenistas que deveria
 
“Acho que tive que ganhar tudo que conquistei, assim como esse título de hoje. Aprecio cada momento que gasto em quadra. Claro que é um acontecimento esse número que atingi hoje e uma grande motivação. Não é fácil ficar entre Federer e Nadal, estamos na Era de Ouro do tênis, esses dois caras me fazem ser melhor e hoje estou no meu melhor”.
 
“Foi ótimo ter vencido esse jogo em um grande torneio e de uma maneira onde me sentia o melhor em quadra. Definitivamente isso vai ajudar, me dará mais confiança, não só para futuras partidas contra ele, mas Miami e o resto do ano”.
 
Apesar de ter vencido Djokovic na decisão em Dubai, vemos que Federer está a questão de meio passo atrás do sérvio, mas que a rivalidade se torna cada vez mais importante – é a segunda maior do tênis com 38 jogos. Nenhum jogador desgarra com três, quatro, cinco vitórias seguidas. É uma ou duas prum lado e depois pro outro. Muito equilíbrio.
 
Se há algo que poderia corroborar o melhor momento de Djokovic seria o retorno aos melhores tempos de Rafael Nadal que ainda carece de confiança para os grandes torneios. O espanhol mostrou evolução na Califórnia, mas precisa bater os grandes jogadores. Miami é uma nova oportunidade.
 
Curtinhas:
 
André Ghem finalista em Shenzhen, na China e com o melhor ranking. Mesmo sem patrocínio e botando a cara à tapa, viajou pro outro lado do mundo e vai crescer na tabela, grudar no top 150.
 
Orlandinho Luz bicampeão da Copa Gerdau uma semana após faturar o bi do Banana Bowl. Excelente. Feito raro e muito importante para um brasileiro. Agora é preciso focar no profissional afinal como vimos com diversos exemplos no país, é um mundo diferente dos juniores. Quanto mais cedo e mais jogar futures/challengers, mais se aprende mesmo que se tome muita porrada no começo. 


  • Eni Maria Monteiro Barbosa

    Não acho que Joko esteve brilhante.Jogou firme, seguro, constante. Mereceu a vitória. A meu ver, nota 9. Estranho foi o jogo do Federer que errou muito, foi inconstante,mas que nos ofereceu as jogadas mais geniais da partida. Foi Federer que perdeu. Sua nota foi 8,mas alcançou tanto o 10 como o 0.

  • nick

    acho que sim. Observando o desempenho dele durante todo o torneio de Indian Wells, fiquei com a sensação de que esse é o ano, após ter batido na trave tantas vezes, que ele vencerá Roland Garros. Com esse nível de jogo dele, da linha de base, acho que nem Nadal no saibro.. o Federer ganharia de Djoko como o fez semanas atrás na Final de Dubai se estivesse num dia de energia em alta. Para o tipo de tenis do Federer funcionar ele não pode ter “quedas” de energia, é um estilo muito dificil de jogar, necessita de muita precisão, força, intensidade.. se acordou num dia não tao disposto assim, se o almoço não desceu bem, ele não consegue render.. é como se o Federer fosse um V8tão gastador.. consome muito combustivel, mas se estiver com o tanque cheio sai de baixo, ele atropela rapidinho.. ontem o tanque estava meio vazio

  • Lorenzo

    Como um grande fã do tênis, fico decepcionado vendo o Djoko ganhando tudo. Ele pode ser o mais completo, mas também é o mais chato de se ver jogar. Parece um robô devolvedor de bolas. Falta estilo no jogo dele. Se todos os jogadores seguirem os passos dele, não vou mais acompanhar o tênis.

    Sentirei saudades de jogadores como Federer (maior de todos), Hass, Gasquet, Nadal, e seus contra-ataques espetaculares e com ESTILO (é brabo ver o Djoko se movimentando feito um boneco de posto), assim como já sinto de outros que se aposentaram (Edberg, Becker, Sampras, Agassi, Rafter, etc).

MaisRecentes

Está na hora do Slam de Dimitrov ?



Continue Lendo

Nadal tem a chave mais fácil, mas não é o maior favorito para o Australian Open



Continue Lendo

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo