O que falta para Nadal, sobra para Federer. E a Serena ?



Confiança. Palavra-chave para o tênis. Falta isso para Rafael Nadal. A evolução foi enorme nestes jogos de Indian Wells em relação ao que apresentou no Rio de Janeiro e Buenos Aires. Ter a confiança para aproveitar uma das chances que escaparam para definir o jogo contra Milos Raonic.

Mesmo ainda sem um grande resultado na temporada – Buenos Aires ele não precisou bater nenhum top 50 para o título – ele precisa ficar contente e esperançoso.
Enquanto isso, para Federer sobra. Fazendo de tudo em quadra e capaz de dar um pneu em Tomas Berdych que, claro, não sacou nem perto do que poderia, mas não teria sentido tanta pressão caso Federer não estivesse em seu melhor.
As semifinais prometem neste sábado às 15h. Será que Djokovic vai sentir falta de ritmo de estar alguns dias sem jogar ? E Andy Murray, que vem jogando um belo tênis, vai tirar essa barreira criada nos duelos contra Djokovic notada na final na Austrália ? A vitória para ele valeria muito. Além da quebra das últimas cinco vitórias do sérvio, ganharia vaga na final e passaria a ser o número três do ranking.
No feminino Halep e Jankovic farão a final. Curioso que Serena Williams desistiu momentos antes da semi 14 anos após sua irmã fazer o mesmo contra ela e a mesma tomar muitas vaias na decisão. Boicotou o evento desde então até aqui. Em nenhum momento a americana mencionou qualquer problema no joelho. É ainda mais curioso para quem conhece o histórico da americana. Não sei se dá para acreditar nela. Ela basicamente joga quando quer.


  • Eduardo

    Fabrizio Nadalete, vc se supera, mais ridículo a cada post, Federer tem uma atuação de gala, mete pneu em Berdych, e vc da MUITO mais ênfase a derrota de Nadal, kkkkkkkkk simplesmente patética sua obsessão pelo baloeiro, DESPACHA ESSE NADALETE TENISNEWS!

  • Julio Garcia

    O que você esquece é que há 2 anos Federer não vence um GS e que no último havia mais 2 anos sem vencer. No ano passado quase ficou de fora do ATP Finals.Lembre-sede que Rafael Nadal vem de lesão de coluna, punho, joelhos e cirurgia de apendicite. Queria ver ostop 10 chegar aonde ele chegou com todos esses problemas. Rafa está no caminho certo e logo vai calar a boca de muitos por aí.

    • Fernando

      O que ninguém está comentando é que assim como em algumas ocasiões os adversários aprenderam a vencer o Federer, os balões de Nadal já não estão incomodando ninguém do top 10 e suas derrotas estão cada vez mais frequentes…. quando Federer tinha a idade de Nadal, isso ainda não acontecia com ele. Mas o que importa é que esses jogadores que se matam para vencer uma partida, não tem técnica para jogar acima dos 30 como o maior de todos vem jogando, Nadal, Djokovic e Murray, provavelmente não terão tanto sucesso na idade de Federer e naturalmente as lesões poderão inevitavelmente acontecer…. é acompanhar para ver.

    • Osny

      Concordo em gênero, número e grau, Julio Garcia. Aliás, ele ficou, em 2012, durante 7 meses sem jogar e voltou ainda no top 5. Por que será? Abs

      • Fernando

        Osny e Julio Garcia, entendo vcs serem tão defensores de Nadal, ele realmente é um grande jogador, mas como em qualquer esporte de grande desempenho, quando se depreende um grande esforço físico para fazer o que outro faz sem muito esforço significa longevidade na modalidade. O que o Nadal morre de esforço para fazer numa partida, o Federer faz sem suar a camisa e correndo em média um terço a menos. Infelizmente para o esporte ao que me parece Nadal não jogará entre os 10 primeiros a partir de 2018… e Federer com seus 33 anos ainda não está suando sua camisa….

  • marcelo

    Nadal > Federer x 2

    • Fernando

      Marcelo, você quer dizer que acha Nadal maior que Federer multiplicado por 2, eu entendi bem, se não me perdoe a ignorância mas foi que me pareceu. É por isso que gosto de números e conquistas, elas falam por si só… recordes estão registrados para serem quebrados, mas lendas como Federer tem alguns que acho que jamais serão alcançados, ou se forem, essas façanhas não serão acompanhadas pela nossa geração. Djokovic, vai conquistar muito mais que Nadal isso sim vamos ver.

  • Evê

    Dois grandes fenômenos do esporte, e certeza que inspiram dezenas de jovens a prática do tênis. Torço pelo tênis, onde assisti jogos de Becker, Edberg, Lendl, McEnroe, Sampras pelo masculino e de Graff, Evert, Seles, Navratilova pelo feminino.

    Desnecessária essa rivalidade transcender das quadras, um detêm 17 slans, outro detêm 14 slans, e ambos grades exemplos dentro e fora das quadras. Nunca envolvidos em escândalos, nunca quebram raquetes ou desrespeitam juízes quer seja o principal ou os de linha, ou mesmo os adolescentes catadores de bola, sempre agem com respeito. Presenciamos grandes rivalidades na atualidade no masculino, seja Federer vs.Nadal, ou Nadal vs.Djokovic, ou Djokovic vs.Federer. Sempre grandes jogos! Os três revezam-se no topo, e sem dúvidas que Djokovic está melhor mentalmente, técnica e fisicamente, por isso é o número 1! na sequência Murray, grande tenista, mas que não está no seu melhor, mas na sua melhor forma, vimos o que foi capaz em Wimbledon 2012, nos 3×0 sobre Djokovic.

    Torço pela geração entre 23 e 25 anos, formada por Nishikori, Raonic e Dimitrov. Talvez jogadores capazes de encaixar um jogo para enfrentar o chamado “big 4”, formado por Djokovic, Federer, Nadal e Murray. Já que a geração de Tsonga, Berdych, Ferrer em poucas ocasiões incomodaram substancialmente esse grupo.
    Na minha opinião, talvez Nishikori possua um jogo que complique mais os quatro primeiros do ranking, tem um bom saque, forehand e backhand demolidores, e um mental que melhora a cada temporada. Um mental que falta para Dimitrov, pois o búlgaro é talentoso, mas falta-lhe constância, regularidade. Raonic melhorou no mental, mas seu jogo não pode ser potencializado somente no saque, como nos anos 90. Tem boa direita, porém seu backhand sempre é atacado pelos oponentes, detalhe a ser aprimorado, mas ele é jovem, e pode melhorá-lo.

    Wawrinka é bom jogador, tem potencial de top 10, e merece estar lá, Gulbis ele próprio precisa se auto traduzir, potencial de top 10, mas precisa treinar como top 10, saque demolidor, forehand bem executado, plasticidade incrível, e um backhand demolidor. Talvez seja o mental, não sabemos, a resposta precisa aparecer dentro da quadra! Outro talento, o austríaco Dominic Thiem, não o vi atuar na temporada 2015! Todos os golpes, tudo para tornar-se jogador top!

    Parabéns Orlandinho!!! Bi campeão em Porto Alegre!
    Olhar com carinho para esta geração, o própio Orlando, Zormann, meninas como Bia Maia, Carol Meligeni, Luisa Stefani…

    Grande abraço!

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo