Jogou como nunca…



O torcedor de Maria Sharapova (olha que são muitos!) pode até ficar chateado comigo, mas a sina se repetiu. A russa jogou como nunca, perdeu como sempre.

Fez tudo certo para sair com o resultado positivo, sobretudo no segundo set, jogando agressiva, com confiança e partindo pro ataque com consistência. Mas do outro lado tinha uma Serena que sempre tinha uma resposta, tirava aces da cartola nos breaks contra, bons saques ou direitas no 40/40 ou em momentos decisivos.
No fim das contas, o retrospecto que agora é de 17 a 2 com 16 vitórias seguidas (mais de 10 anos sem perder) se fez valer. Serena segue com o número certinho de Sharapova, independente do momento e da confiança. Ela parece se motivar ainda mais a jogar seu melhor justo contra a musa independente da fase que seja.
A partida, ou melhor, o segundo set, foi o de maior qualidade em todo o torneio. Teve emoção, muitas jogadas bonitas, tensão, as duas vibrando a cada ponto e em um nível altíssimo de tênis.
Sinto pela Maria. Uma hora a maré irá mudar.
E Serena segue escrevendo seu nome na história com 6 Australian Opens, 19 Grand Slams, 3ª maior vencedora. Restam cinco para igualar Margaret Court e três para ser a maior vencedora da Era Aberta, a da profissionalização.


MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo