Nada mudou…



Ano novo, vida nova, certo ? Não exatamente. Pela enésima vez, Thomaz Bellucci faz uma ótima exibição contra um top 10 de alto calibre, mas peca no mental, perde o controle e o jogo vai embora rapidamente.

Na madrugada desta terça-feira foi triste ver o brasileiro começar de forma tão perfeita e levar 12 games seguidos mais por uma quebra bruta de rendimento do que um salto enorme de David Ferrer. Ele quebrou, fez 2/0 e daí entregou um game com três erros e quando tentou acordar já era tarde e o cenário bem diferente.
Foi uma verdadeira montanha russa. A impressão que deixou para o torcedor qur ficou animado vendo uma  excelente exibição acabou sendo das piores. Um tenista como se não tivesse lutando em quadra, jogando tudo pra fora.
É uma pena. Só nos resta torcer para que João Zwetsch, que a princípio trabalhará com Thomaz até o fim de março, consiga trabalhar bem a questão mental do brasileiro e também a intensidade. Como disse em outros posts, me preocupava o fato da pré-temporada ter começado mais tarde por conta de uma lesão no púbis que historicamente em outros atletas não é tão simples assim.
A notícia boa é que os dois primeiros torneios da gira sul-americana são bons para Thomaz. Quito é na altitude, onde seu jogo rende mais e onde conquistou seus três títulos de ATP (dois em Gstaad e um em Santiago) e depois em São Paulo onde cada vez mais se sente confortável para atuar.
Falando em apagão. João Souza, o Feijão, também desperdiçou uma ótima chance contra Ivan Dodig. Abriu 4/0 no 2º set, teve quatro set-points, dois com o saque e acabou eliminado em sets diretos. Ele dominava o croata, mas se perdeu em erros. Nos últimos dois torneios faltou captalizar as chances para uma história diferente. Chances perdidas que fazem falta para ranking e etc.
Dos favoritos no masculino, o que mais me impressionou foi Rafael Nadal até mesmo pela falta de ritmo e aquele blá blá blá que costuma dizer, com pessimismo sobre o torneio. Quando menos se espera dele, melhor ele joga. Vamos acompanhar.
Ana Ivanovic parece ter namorado bastante ou tido algum problema com o novo affair Bastian Schweinsteiger. Ela nunca vai dizer o que realmente é, mas revelou ter tido problemas e por isso não treinou adequadamente às vésperas do torneio. Como diria Muricy Ramalho: ‘A bola pune’. E a sérvia pagou caro.


MaisRecentes

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo

Nadal no Olimpo



Continue Lendo

O enorme coração de Del Potro



Continue Lendo