A preocupante situação de Del Potro. Copa Davis ? Nem pensar…



Juan Martin Del Potro está fora do Australian Open. Depois de uma animadora campanha em Sydney, batendo Fabio Fognini e parando nas quartas, o punho esquerdo mais uma vez acusou, as dores se intensificaram e foi prudente a decisão de não jogar em Melbourne e arriscar em pesados jogos de cinco sets para uma longa temporada.

Em coletiva de imprensa o tenista soltou a letra ao dizer em coletiva de imprensa dando claramente a entender que não jogará a Copa Davis contra o Brasil em Buenos Aires, no começo de março.
“Ainda não sei (sobre quando retorno), estou fazendo tratamento. Vou ver meu médico de novo. Espero voltar a jogar muito em breve, nos torneios nos Estados Unidos”. 
A escolha do capitão argentino Daniel Orsanic pelo saibro, depois de várias semanas de adiamento, já levaram a crer que a participação do argentino seria difícil. Com o retorno das dores, seria uma surpresa imensa se mudasse de ideia.
As lesões de Del Potro me lembram um pouco a difícil história de Gustavo Kuerten que passou por três cirurgias (duas divulgadas oficialmente e outra negada até a publicação de seu livro ano passado) com suas idas e vindas no circuito. Óbvio que cada história teve sua característica – Del Potro, por exemplo, não foi número 1 e tampouco ganhou três Grand Slams – mas também teve seus problemas acentuados um pouco mais jovem que o brasileiro.
Um grande talento que traz um estilo ímpar, brilho e humildade ao esporte e que não teme a cúpula que domina o circuito.
Certamente ele não quer incorrer ao erro passado de forçar para piorar um problema, mas de fato é preocupante que após onze meses de recuperação e sem competição, os mesmos problemas tenham retornado e intensificado com três partidas em competição. Por mais que Delpo esteja positivo, o cenário não é nada bom e o tênis só perde.


MaisRecentes

Nadal de outro planeta. O Adeus da Rainha Maria Esther Bueno



Continue Lendo

Pode Zverev segurar Thiem ? Djokovic comendo pelas beiradas



Continue Lendo

Nadal com caminho mais aberto. Bellucci regrediu



Continue Lendo